Como Saber se o Designer Instrucional é um Profissional de Alta Qualidade?



Com o desenvolvimento da E-Web, o eLearning é a nova palavra de ordem para as organizações, escolas e interessados em atuar com a tecnologia educacional. Os empregadores, que lutam para economizar tempo e custos, sem comprometer em manter seus funcionários atualizados são os profissionais que entenderam essa nova ordem e são os que estão fazendo o mercado progredir nesta área.

Na verdade, eLearning faz muito mais do que apenas reduzir custos e tempo das instituições. Embora a forma de aprender seja online, a importância de facilita-lo por meio de um designer instrucional é primordial. A adoção de um bom projeto orientado por instrutor facilita uma organização para alcançar resultados explícitos com relação a suas metas de treinamento e consequentemente, o desenvolvimento da força de trabalho.

A qualidade de um designer instrucional é frequentemente avaliada sob três aspectos: eficácia, eficiência e habilidade em baixar os custo de formação dos colaboradores para a instituição. Para alcançar estes requisitos, aqui estão algumas regras que a organização deve ter em mente antes de se preparar para projetar sua estratégia de aprendizagem instrucional:

Regra 1: Projete os meios, mantendo o fim em mente

É importante para manter o objetivo específico que você deseja alcançar com a aprendizagem. Perguntas como: “O que eu pretendo conseguir?”, “O que os alunos devem conhecer, entender e aplicar em situações da vida real no dia-a-dia do trabalho?”, “Como é que este curso ajuda os alunos a serem participantes ativos durante todo o processo educacional?”, Esse tipo de indagação deve ser feita de modo a criar a finalidade do material de estudo.

Regra 2: Materiais devem ser concebidos a partir do ponto de vista do aluno

O designer instrucional deve ser um profissional centrado nas características do aluno que vai receber a formação. Ele deve ser capaz de mudar a sua orientação para uma técnica mais exploradora deixando o papel de facilitados para o professor que desempenha o acompanhamento e avaliação da formação. Cada aspecto do projeto deve se concentrar em suas necessidades específicas de aprendizagem. Técnicas como a histórias, humor e cenários baseados em aprendizagem incorporando as emoções no processo.

Regra 3: É um processo contínuo

Desenhos da instrução deve ser refinados continuamente por meio de avaliações periódicas e melhorias. Pense nisso como um pedaço de software. Você e sua equipe começa com um conjunto de características. Eventualmente, você vai encontrar bugs ou algumas falhas e corrigi-los ou atualiza-los sempre que necessário. Demandas mudam, conhecimento avança e o DI deve acompanhar esse processo!

Afinal um processo sem fim não deve ser interpretado de uma forma assistemática de fazer as coisas. Design instrucional de alta qualidade segue uma metodologia robusta e etapas lógicas de análise, concepção, desenvolvimento, aplicação ou implementação e avaliação. Sempre e repetidamente…

Regra 4: Entendimento holístico e abrangente

Um designer instrucional deve ter a capacidade de entende concepções macro de determinados assuntos com os quais esteja envolvido e, ao mesmo tempo, não ignorar os pequenos detalhes que, eventualmente, vai compondo o todo. Detalhes estes pequenos, mas vitais para ter o entendimento de como alinhar as necessidades de inclusão de mídia e ferramentas que serão utilizadas na formação.

O importante é permitir que os sistemas de design instrucional e aprendizagem online se complementem um ao outro para que a tarefa de aprendizagem empregada apresente uma forma abrangente e holística.

Tenha em mente esses requisitos quando for contratar um designer instrucional!

IBDIN Instituto Brasileiro de Desenho Instrucional


240 visualizações