Todo Professor Deve Usar Tecnologia Educacional sem se Preocupar com Custos



Em vez de ficarem sentados em suas mesas, escrevendo os ditados, os alunos logo aprenderão a fazer a coleta de drones depois de imprimi-los em impressoras 3D. As tecnologias da nuvem e os Sistemas de Gerenciamento de Aprendizagem já deram aos professores a oportunidade de ensinar de qualquer local, enquanto os alunos recebem acesso remoto a qualquer tipo de material do curso. Grandes mudanças estão por vir.

A Opinião Especialista

A previsão de tecnologia educacional, realizada em 2017, apresentou várias tendências interessantes que se desenvolverão num futuro próximo. Vários especialistas em campo compartilham suas idéias considerando as tendências que irão definir inovações na educação até 2020. A chamada Educação 4.0. Como se verificou, as tendências incluem, mas não estão limitadas a: Inteligência Aritificial e Robótica, Realidade Aumentada ,Gamificação, Lifelong Learning, Crowd Learning, Codificação e aplicação de modelos de aprendizado completamente novos.

Várias tecnologias continuam a convergir, novas formas de interação homem-homem estão ganhando visibilidade e tração. Universidades grandes e renomadas sempre foram os maiores fãs e adotam com facilidade as inovações tecnológicas em suas aulas. Colégios de médio porte e escolas municipais, raramente oferecem tais melhorias. Porém nem tudo está perdido. Salas de aulas pequenas também podem convidar à inovação usando os conceitos de tecnologia educacional sem custos apresentados abaixo.

1. Codificação

A codificação infantil é certamente a tendência mais forte que domina a mídia educacional hoje em dia. Nem todas as crianças se tornarão especialistas em TI no futuro, mas o pensamento computacional irá ajudá-los a desenvolver o pensamento abstrato e lógico, pois ensinará aos alunos a dividir as tarefas em partes menores. O conhecimento precoce dos alunos sobre como usar dispositivos, em conexão com a codificação, pode impulsionar seu interesse pela tecnologia. O desejo de entretenimento pode ser combinado com aprendizagem e desenvolvimento. Se a professora apresenta aos alunos formas de como eles podem usar recursos para aprender a codificação básica (em plataformas como code.org, khanacademy ou codeacademy), muitos deles comporão algoritmos, ou até mesmo escreverão o código em menos de um ano.

2. Realidade Aumentada e Virtual

O programa Google Expeditions transforma todos os alunos em um aluno de Realidade Virtual, com a ajuda de óculos de cartão baratos e um smartphone. Durante esses passeios virtuais, os alunos, junto com os professores, podem mergulhar nos arredores do assunto estudado, variando das pirâmides antigas ou do oceano para o espaço exterior. Como a tecnologia Oculus Rift foi adquirida recentemente pelo Facebook, pode ser possível que os alunos aprendam apenas participando dos jogos nos anos seguintes.

A Realidade Aumentada está mais próxima das salas de aula do que pensamos. Na verdade, aplicativos diversos qui no Brasil já permitem que os alunos interajam com animais virtuais, moléculas e planetas através de seus laptops e telefones. Existem empresas especialistas em desenvolver projetos de cursos para uso deste recurso. Professores também podem investir em uma formação complementar para aprender a criar programas de cursos ou atividades utilizando-se desta metodologia ativa e recursos vestíveis.

3. Gamification

A gamificação na educação é uma forma emocionante de aumentar o interesse no assunto entre os alunos. O maior benefício da gamificação é que um aluno pode aplicar de forma prática o material aprendido e fortalecer a retenção de informações. Os especialistas destacam que usar jogos enquanto aprendem oferece múltiplas perspectivas sobre a resolução de problemas e também dá a chance de ensaiar e polir a habilidade no ambiente seguro. Plataformas educacionais, e a maioria dos aplicativos hoje em dia, aplicam o elemento de gamificação. Por exemplo, os professores podem criar tarefas colaborativas inteiras com perguntas interativas em aplicativos gratuitos.

4. Flipped Classroom ou Sala de Aula Invertida

A sala de aula vinvesrtida é uma concepção de estudo, segundo a qual a aprendizagem deve ocorrer fora da sala de aula, enquanto a tarefa de casa é feita na sala de aula. Para aprender fora da aula, os professores aplicam ferramentas e aplicativos educacionais on-line. Um LMS geralmente é a plataforma onde a aprendizagem online está acontecendo. O LMS permite reunir os materiais de aprendizagem em um só lugar, fazer as atribuições, classificá-las e acompanhar o progresso dos alunos. No LMS, os professores também podem integrar os aplicativos gratuitos que facilitarão o gerenciamento de tarefas.

5. Robótica e Inteligência Artificial

Universidades e faculdades usam a robótica juntamente com a codificação. Os alunos ficam mais entusiasmados com a codificação, pois vêem como o algoritmo traz vida às suas coisas favoritas. Até agora, os produtos que sugerem experimentar a robótica nas aulas incluem robô-kits como Lego. A Inteligência Artificial é amplamente integrada no processo de aprendizagem A Inteligência Artificial é amplamente integrada no processo de aprendizagem usando tecnologias de processamento de linguagem natural (PNL). Eles se tornam a base para o funcionamento da variedade de aplicativos, que exigem atribuição de autoria, como a Emma, usando assistentes pessoais, auxiliares e tutores que sintetizam a fala humana como Cognii.

Como o mundo inteiro está experimentando o boom das tecnologias inovadoras, as salas de aula também não podem ficar muito atrás. As inovações educacionais baratas e gratuitas já estão à mão. Aplicando-os na sala de aula, os alunos podem entender como eles podem aumentar suas habilidades de aprendizagem e mostra que o seu conhecimento em breve terá aplicação na vida real.

IDI Instituto de Desenho Instrucional


63 visualizações