8 Dicas sobre o Uso de Audio e Som na Aprendizagem Virtual



De todos os recursos de comunicação na aprendizagem online existentes, o áudio é o mais provável de ser catastrófico na usabilidade. Designers Instrucionais atentem!

1. Qualidade IMPORTA

A pesquisa mostra que os usuários online atuais são mais sensíveis à qualidade do áudio do que a do vídeo. A qualidade da produção de áudio é mais importante do que a qualidade das imagens de vídeo. Isso ocorre porque nossos olhos lidam bem com crepúsculo, diferentes níveis de luz, distância e assim por diante. Nossos ouvidos, no entanto, esperam áudio de alta qualidade, pois essa é a norma no diálogo real. Grave áudio de qualidade. Se você não fizer isso, o aluno irá odiar a sua gravação. E pior que isso: pode criar um gatilho de aprendizagem ruim ao lembrar de determinado som relacionando-o com determinado conteúdo. Se você ou seu professor ou locutor tiver uma voz ruim (mesmo sendo gênio técnico e conhecedor de determinada na área) repense gravar o áudio com outro profissional. Use vozes profissionais. Talvez seja tentador usar o sujeito-perito ou alguém na equipe, para gravar os voiceovers, não o faça. Ou, pelo menos, escolher alguém com uma voz forte, que possa parecer genuíno e entusiasmado em uma recodificação real. Você pode economizar uma quantidade considerável de tempo e dinheiro usando profissionais.

2. NÃO use música de fundo

A música de fundo não adiciona nada à experiência de aprendizagem. Na verdade, pode inibir o aprendizado. Moreno e Mayer (2000) fizeram uma experiência com e sem música de fundo, mostrando que (mesmo com música de baixo nível e pouco discernível) a mesma experiência de aprendizagem foi de 20 a 67% melhor na sequência sem música de fundo. Como um post-script, o efeito Mozart é sem sentido.

3. NÃO use efeitos sonoros

Moreno e Mayer (2001) descobriram que os sons estranhos danificavam a aprendizagem. Os sons desnecessários criam carga cognitiva desnecessária e distraem, ao invés de aumentar, aprender. Isso também se aplica aos sons, como beeps ou aplausos, que reforçam as respostas corretas e erradas. Isso pode ser apropriado em jogos ou crianças pequenas, mas não para a maioria do aprendizado online. O doce de orelha é tão ruim quanto o doce do olho.

4. NÃO faça voz e texto

Erro número 1 de 100% dos DI’s iniciantes! As mesmas palavras, tanto no texto quanto na narração de áudio que acompanha, podem prejudicar o aprendizado. Mayer e Clark argumentam, a partir de sua própria pesquisa, o uso de "áudio e gráficos" - sem texto na tela. De acordo com Clark e Mayer (2003), "áudio ou texto por conta própria" são melhores do que "texto e áudio juntos". Isto é confirmado por outro estudo de Kalyuga, Chandler e Sweller (1999), onde o grupo com áudio obteve 64% melhor que o grupo com texto e áudio. Eles afirmam que um ou outro é redundante e irá sobrecarregar os canais visuais e auditivos.

5. NÃO dobre para acessibilidade

É tentador adicionar áudio para tudo para atender aos padrões de acessibilidade, mas isso é um grande erro. Arrasar um bom programa de aprendizagem para a grande maioria, para as necessidades de uma pequena minoria, é um erro. Existem outras formas de lidar com a acessibilidade para usuários cegos. Tente conhecer mais sobre Design Adaptativo e Design Acessível.

6. Faça os níveis corretos

É fácil gravar áudio. As câmeras fazem isso, até mesmo os smartphones fazem isso, mas é menos fácil manter a qualidade e os níveis de volume do mesmo em diferentes gravações em momentos diferentes, sem uma extensa pós-produção. Os usuários são muito sensíveis a quedas súbitas e aumentam em volume e você corre o risco de parecer amador, perdendo o respeito do aluno, se eles variarem.

7. Considere podcasts

Considere podcasts, especialmente para aprendizagem móvel, mas também onde você deseja que o aluno use sua imaginação. O rádio tem feito isso bem por um longo tempo. Pense no formato da entrevista ou, como nos podcasts "In our time", um entrevistador e três ou quatro especialistas. Ouvir é uma habilidade muito mais comum que a leitura.

8. Compre um bom microfone

Um bom microfone é um investimento de som, pois é fácil confiar na câmera embutida ou acessórios baratos para iPhone. Um bom aparelho fará toda a diferença e lembrará - a qualidade do áudio é mais importante do que a qualidade do vídeo na aprendizagem.

O áudio às vezes apresenta um ritmo bastante pesado para a aprendizagem online, especialmente para alunos adultos e experientes. Também é difícil e dispendioso atualizar, pois você precisa ter a mesma voz, os mesmos níveis e o mesmo ambiente de gravação. Então pense muito e duramente antes de gastar todo esse tempo e dinheiro em áudio - é difícil fazer o bem-feito.

IDI Instituto de Desenho Instrucional


124 visualizações