Novidades em Vídeo para Treinamento de Clientes: Tudo na Mesma?



Além das plataformas de vídeo (SAMBATECH, VEDUCA) etc... estamos navegando em mares abertos e sem muita concorrência. Sabe-se que a tendência é o uso de vídeos para quais quer programas que visam a educação do cliente, seja do assunto que for. O YouTube está aí pra provar o quanto importante é a ferramenta para acesso rápido e viável (por meio de imagens e seu poder de fixação mais aprofundado que o texto) são esses recursos.

As ferramentas de produção de vídeo e o software de edição tornaram-se simultaneamente mais baratos e mais sofisticados, permitindo assim que você faça vídeos de qualidade de forma econômica.

Sa a sua organização decidir apresentar vídeos na sua iniciativa de treinamento de clientes pela primeira vez, a perspectiva pode induzir o pânico para os membros da equipe. Mas calma lá... não é tão complicado quanto parece.

Brotam aos montes agências e empresas especializadas em produção de vídeo para orientar organizações no uso estratégico deste recurso. Ainda melhor, uma infinidade de cursos e comunidades online existem para apoiá-lo enquanto você produz vídeos para educação do cliente ou para qualquer outro projeto de geração de marketing ou liderança. Já ouviu falar do Youtube Studio?

Mas vamos às últimas tendências em produção de vídeo. Seus insights fornecem conselhos valiosos sobre as formas como você pode criar vídeos instrucionais que envolvam seus clientes enquanto fazem o melhor uso de seus recursos.

Contratar uma pessoa ou equipe de vídeo

Cada vez mais empresas, em um amplo espectro de indústrias, que contratam pessoal de vídeo interno estão fazendo do vídeo uma competência básica de como se comunicam entre si.

O ideal é ter pelo menos uma pessoa na equipe de marketing apenas focada no vídeo".

É crescente aa cessibilidade das ferramentas de produção de vídeo. Os varejistas como vendem equipamentos com preços razoáveis ​​capazes de produzir vídeos de qualidade para educação do cliente ou outros fins.

Há 4 ou 5 anos atrás, se você quisesse fazer vídeos, você usaria equipamentos de R$ 10.000. Hoje, você pode usar uma câmera de vídeo DSR que custa R$ 4.000, ou você pode usar seu smartphone. Uma pessoa pode gravar e editar o vídeo, e pode ter um resultado bom. Basta aprender princípios de iluminação e saber configurar o seu dispositivo para tal.

Outra tendência estudada é que as empresas começaram a perceber que é mais eficiente ter uma pessoa de vídeo interna em vez de terceirizar a função. Você pensa sobre o ROI do vídeo de forma diferente quando você o possui alguém interno que faça. Quando você contrata uma empresa de design para uma campanha, você está medindo horas e pensando sobre o impacto. Quando você tem uma equipe de design internamente, todas essas outras experiências que podemos ser feitas de forma melhor, mais eficaz e ter uma melhor impacto maior na experiência do cliente.

Toque Recursos externos

Já existem sites que oferecem uma série de vídeos de instruções para ajudar seus clientes - tudo de como filmar vídeos com um iPhone para escolher o cenário certo.

Um especialista em vídeo também traz alguns truques que podem tornar o seu vídeo mais atraente, como selecionar a pessoa certa na câmera e a música de fundo apropriada. Um especialista saberia, por exemplo, que disparar inteiramente de um ângulo de câmera poderia levar a um vídeo chato. Os cortes frequentes dão ao vídeo mais energia e aumentam o interesse dos telespectadores...

Adicione o fator humano

Um vídeo orientado para a educação do cliente desviou-se dos screencasts com narração e quadros brancos do passado. Embora essas técnicas permaneçam viáveis ​​em certas circunstâncias, os vídeos de hoje integram ação ao vivo, gráficos e animação e muita espontaneidade. Inclusive esse toque de espontaneidade possibilita o cliente se afinizar com o conteúdo. Certos “defeitos” podem surtir efeitos supreendentes quando se trata de um humano no vídeo. Afinal não somos robôs. Esse toque de emoção e simplicidade faz com que o interlocutor se sinta integrado. Todos esses elementos tornam o vídeo mais atraente, particularmente esse tal toque humano citado acima.

Os alunos respondem de forma mais favorável quando vêem uma pessoa real no vídeo. É uma questão de humanizar o processo. O vídeo é mais convincente se houver alguém na tela que você está aprendendo. Os vídeos lhe dão a oportunidade de tornar sua comunicação mais humana, e queremos fazer negócios com seres humanos.

Os vídeos iniciais apresentavam screencasts; agora, seus vídeos combinam animação ou uma pessoa na câmera para ensinar aos espectadores a usar um produto.

Outra dica: adicione um pingo de humor. Se as pessoas riem enquanto observam o vídeo, significa que estão envolvidas no programa de educação do cliente. Não tenha medo de fazer algo que não é completamente fora da caixa.

O Conteúdo

Ao transferir seu programa de educação do cliente de livros brancos e manuais para vídeos, é tentador querer colocar tudo em um único vídeo. Isso é errado!!

Em vez disso "corte" o conteúdo ou divida-o em vídeos menores e mais racionalizados. À medida que nossa atenção abrange se tornou mais curta e, portanto, nossa vontade de assistir a longos vídeos contendo conteúdo estranho que não pertence a nós.

Na verdade foi analisado o momento quando os alunos se desvinculam dos vídeos. Ocorre quando o aluno assiste o vídeo e não sente nenhuma conexão.

Conte uma História

Ao invés de usar um formato didático tradicional, os melhores vídeos de treinamento de clientes evoluíram para narrativas que contam uma história. Um manual de treinamento para vendedores de TI converte-se em uma história de vídeo para ajudar os alunos a entender e aplicar a informação. Isso torna o vídeo um pouco mais degustável e garante que nenhuma informação se perca.

Percebe-se também, um aumento no uso de narrativas em vídeos. Nossa sociedade é construída em histórias, e isso é o que nos interessa e se relaciona com o que o conteúdo realmente é.