Suporte pela Inteligência Artificial: Novo Paradigma de Aprendizagem



Estamos nos afastando simplesmente de “aprender” um assunto ou tópico para “sentir” o conteúdo. Essa não é simplesmente uma ferramenta de engajamento ou um truque, ela permite que um aluno explore, experimente ou seja envolvido em algo, como se estivesse realmente presente naquele ambiente ou lugar “, escreveu recentemente Graeme Lawrie, diretor de inovação e extensão na escola Sevenoaks, que fica no Reino Unido. E os estudantes não são os únicos beneficiários.

Os sistemas de tutoria inteligentes, como o Carnegie Learning ou o Third Space Learning, ajudam os professores a se libertar da abordagem “tamanho único”. Essas plataformas individuais de tutoria utilizam o big data e ferramentas de análise de aprendizagem para fornecer aos tutores retornos avaliativos em tempo real sobre desempenho, pontos fortes e fracos dos alunos. O retorno avaliativo ajuda os professores a determinar as necessidades exatas de aprendizagem, as falhas em habilidades de cada aluno e fornecer orientação suplementar.

Porém existe um fato: o suporte ao desempenho precisa ser centrado no aluno ou os alunos não querem usá-lo. Os alunos de hoje esperam mais. Se as informações estiverem acessíveis ao toque de uma chave, onde quer que estejam, elas esperam conectividade semelhante no local de trabalho. É aí que uma versão aprimorada de suporte de desempenho que aproveita e se adapta às oportunidades oferecidas pela tecnologia móvel, digital e inteligente pode realmente se tornar realidade.

Vamos olhar para o potencial oferecido pelos chatbots. Os bots avançados não apenas entregam informações e aprendem junto ao aluno, como também fornecem dados concretos aos designers instrucionais sobre o modo como o seu treinamento está sendo aplicado e assimilado pelos alunos. A preocupação deixa de ser se o aluno está acessando o conteúdo mas sim em como melhorá-lo com a ajuda da inteligência artificial.

Você precisa aprender a projetar para este novo estilo de aprendizagem. Isso representa um desafio, ou melhor, uma oportunidade para designers instrucionais: estamos falando da conectividade criada em todo o processo: não apenas com o aluno mas com os DI’s: que também costumam ficar pensando: “o que vem depois?” Em outras palavras: a grande vantagem de levar o treinamento para o suporte de desempenho é que os DI’s podem evidenciar com mais clareza os benefícios de seu trabalho.

Capacitando os Alunos com Ferramentas de Inteligência Artificial

Assim, ainda não existem dados concretos sobre o que funciona e o que não funciona, o designer pode ver o que o aluno realmente precisa no momento e aliar a necessidade adaptando o aprendizado de acordo com tal. No final, você terá acesso a um fluxo de trabalho com base em dados quantificáveis, como preferência do aluno, relevância e uso da tarefa e eficácia do desempenho.

Os modelos de Design Instrucional enfatizam a necessidade de avaliação constante para atualização do conteúdo a fim de satisfazer essas necessidades de alunos, mas isso está sendo cada vem mais descartado pelas organizações por questão de tempo. E é aqui que começa a parte crítica da coisa: a necessidade da mudança de paradigma em termos de projeção didática e orientação de alunos.

Em vez de marginalizar o designer instrucional, esse novo paradigma coloca-os no centro do Suporte de Desempenho.Os designers instrucionais podem liberar e capacitar os alunos, ajudando-os a aprender a aprender, usando as ferramentas de IA e adaptando seu treinamento para ajustá-los.

O conteúdo de aprendizagem precisa ser criado para acesso rápido e pesquisa e recuperação inteligentes, oferecendo aprendizado e suporte ao mesmo tempo. Ele precisa ser adaptativo também para mudanças nas circunstâncias e no uso. Um funcionário que procura um aprendizado durante o trabalho, tem tempo e largura de banda limitados.

Um agente de suporte ao cliente dificilmente colocará o cliente em espera enquanto revisa um curso online, por exemplo. Um gerente de vendas que deseja ter informações em mobile no local do cliente, não vai voltar para o escritório para fazer um curso de atualização, certo?

Existe aí uma mudança de contexto: esse treinamento precisa ser direcionado para a pessoa específica no momento específico. Analisar as estatísticas de uso de ferramentas de suporte de desempenho pode ajudar a aperfeiçoar o design.

Não estamos dizendo que não há lugar para treinamento, apenas que talvez tenha sido colocado no lugar errado. O treinamento não deve cessar quando você sair da sala de aula ou sair do curso de eLearning e a transferência do aprendizado para o fluxo de trabalho pode aumentar sua eficácia e melhorar a produtividade.

Aprender no trabalho deve ser melhor que fazê-lo depois do trabalho!

Ao permitir que o conhecimento flua para o sistema a partir do local de trabalho sendo atualizável e escalável (reutilização de conteúdo), o suporte de desempenho pode fornecer competência e domínio aumentando a retenção de conhecimento e capturando a experiência.

Colocar o aprendizado diretamente no fluxo de trabalho através de suporte de desempenho assistido tecnologicamente pode se traduzir em maior produtividade, eficiência e economia de custos e desempenho aprimorado. Esses são benefícios são indiscutíveis. A mudança de paradigma também pode criar um círculo virtuoso onde os designers aprendem com o aluno e os alunos aprendem com os designers. O aprendizado e o suporte evoluem e melhor atendem às necessidades do funcionário englobando também a experiência dos funcionários.

Uma nova Era

Para que o suporte de desempenho seja realmente eficaz, ele deve ser simples de usar, eficaz, atualizável e escalável. A nova tecnologia baseada em IA, adiciona inteligência ao poder de pesquisa, informação e o aprendizado pode se tornar relevante, adaptado e focado. A interação entre o aprendiz e a aprendizagem cria um ciclo virtuoso de troca e retenção de conhecimento.

Para isso ser realidade, é necessária uma mudança no paradigma de aprendizado que junte o treinamento e o suporte ao desempenho e mova o treinamento , de fato para para fora da sala de aula e corrija-o diretamente no fluxo de trabalho a atividades. Informação em tempo mais real possível!

Isso significa que nossos designers instrucionais devem começar a criar materiais para o suporte de desempenho com a finalidade de colocar o aprendizado no trabalho como centro de seu design e seu conteúdo de treinamento.

Como “lambuja” a empresa/instituição de ensino ganha maior produtividade e eficácia, redução de custos e melhor desempenho.

Pode-se dizer que é o suporte para apoiar a maneira como trabalhamos e aprendemos hoje que vai fazer a grande diferença.

IDI Instituto de Desenho Instrucional


0 visualização