10 Regras para Escrever Questões de Múltipla Escolha



Este é um artigo sobre questão de múltipla escolha subvalorizada e pouco discutida, mas muito importante. Se você precisar usar testes, reduz os erros que ocorrem em itens mal escritos.

As regras apresentadas aqui tornam os testes mais precisos, de modo que as perguntas são interpretadas como pretendido e as opções de resposta são claras e sem dicas.

Aqui estão as dez regras:.

Regra nº 1: Teste a compreensão e o pensamento crítico, não apenas recordar

Questões de múltipla escolha são criticadas por testar a lembrança superficial do conhecimento. Você pode ir além disso, pedindo aos alunos que interpretem os fatos, avaliem situações, expliquem causa e efeito, façam inferências e prevejam resultados.

Regra nº 2: Use estrutura de frases simples e formulação precisa

Escreva perguntas de teste em uma estrutura simples e fácil de entender. E tente ser o mais preciso possível em suas escolhas de palavras. As palavras podem ter muitos significados dependendo do uso e contexto coloquial.

Regra nº 3: coloque a maioria das palavras no tronco da pergunta

Se você estiver usando um ponto de interrogação, em vez de uma pergunta inteira, verifique se a maioria das palavras está no tronco. Dessa forma, as opções de resposta podem ser curtas, tornando-as menos confusas e mais legíveis.

Regra # 4: Torne todos as incorretas plausíveis

Todas as opções erradas de resposta devem ser completamente razoáveis. Isso pode ser muito difícil de ser realizado, mas evite jogar nos distratores presentes, pois isso diminui a validade do teste.

Regra # 5: Mantenha todas as opções de resposta no mesmo comprimento

Isso pode ser difícil de conseguir, mas especialistas em testes podem usar a duração da resposta como uma sugestão para a resposta correta. Muitas vezes, a resposta mais longa é a correta. Quando não consigo as quatro respostas no mesmo comprimento, uso duas curtas e duas longas.

Regra # 6: Evite negativos duplos

Não use combinações dessas palavras na mesma pergunta: não, incorreta, errada, etc. Por exemplo, esse tipo de pergunta pode confundir os participantes: “Qual dos comentários a seguir NÃO seria indesejável? Vire-o e escreva na forma positiva: "Quais dos seguintes comentários são aceitáveis em uma situação de trabalho?"

Regra # 7: Misture a ordem das respostas corretas

Certifique-se de que a maioria de suas respostas corretas não esteja nas posições "b" e "c", o que pode acontecer com frequência. Mantenha as respostas corretas em posições aleatórias e não as deixe cair em um padrão que possa ser detectado. Quando seu teste for escrito, passe e reordene onde as respostas corretas são colocadas, se necessário.

Regra # 8: Mantenha o número de opções consistentes

É uma questão de interface de usuário. Tornar o número de opções consistente de pergunta a pergunta ajuda os alunos a saber o que esperar. Não há consenso se 3 ou 4 ou 5 opções são melhores.

Regra nº 9: Evite enganar os participantes

Por mais defeituosos que sejam, existem testes para medir o conhecimento. Nunca use perguntas ou responda opções que possam enganar um aluno. Se uma pergunta ou suas opções puderem ser interpretadas de duas maneiras ou se a diferença entre as opções for muito sutil, encontre uma maneira de reescrevê-la.

Regra # 10: Use “Todas Corretas” e “Todas Incorretas” com cautela

Cuidado com essa regra porque quando você fica sem opções por não ter certeza do conteudo, Todas Corretas” e “Todas Incorretas” pode ser útil. Mas eles não podem promover boas instruções. Aqui está o porquê. Todas Corretas podem ser uma resposta óbvia quando não são usados consistentemente. Além disso, a opção Todas Corretas pode incentivar a adivinhação se o aluno acha que uma ou duas respostas estão corretas. Além disso, a desvantagem de Todas Incorretas é que você não pode dizer se o aluno realmente sabia a resposta correta.

IDI Instituto de Desenho Instrucional

#avaliação #multiplaescolha

250 visualizações

JUNTE-SE A NÓS

A maior rede de Designers Instrucionais do Brasil.