Invisto na Carreira de Designer Instrucional ou na de UX Designer?



A resposta é: em ambas. Cada dia mais vejo as duas competência sendo adquiridas pelos mesmos profissionais que moldam cursos. Ou seja: DI buscando a competência de UX Design e vice-versa. Mas você sabe qual é a diferença entre o Design instrucional e o Design de Experiência de Aprendizagem (LEX e UX Design)?

Muitos confundem o Learning Experience ( que está mais para a técnica do Design Thinking - uma vez que está centrado na resolução de problemas pelos usuários) e o Design Instrucional ( que é a metodologia de criação de treinamentos de usuários). Enquanto a primeira resolve problemas, a segunda ensina a fazer. Mas vai além disso!

A diferença entre um Designer Instrucional um Designer de Experiência de Aprendizado é peculiar.

Enquanto DI dependemos do que os clientes precisam. Já o LEX (Learner Experience Designer) faz a interface do usuário (experiência do usuário e interface do usuário) com o objetivo de criar aplicativos de aprendizado para dispositivos móveis (para adultos, não para crianças). Um complementa o outro. Por isso é tão importante o DI conhecer de LEX, UX Design. O torna um provedor de expectativas que vão além do que op DI pode promover.

Então, o que é o LEX Design?

"À primeira vista, pode parecer que Design UX e Design de Aprendizado são diferentes, mas, na realidade, muitos Designers UX se envolverão no Design de Experiência de Aprendizagem ao criar ajuda, tutoriais, integração, etc. para seus produtos digitais. semelhanças entre Learning Design e UX Design, felizmente, e pode ser relativamente fácil para UX Designers qualificados adaptarem suas habilidades a experiências de aprendizado. "

Outra afirmação é a de que:

"LEX Designers, em contraste, fundem princípios de pensamento de design com o desenvolvimento de currículo e a aplicação de tecnologias emergentes para ajudar o corpo docente a adaptar o conteúdo aos comportamentos e preferências dos alunos."

Outra agência oficial de Design de Aprendizagem, diz:

"Learning Experience Design ™ é uma síntese do Design Instrucional, Pedagogia Educacional, Neurociência, Ciências Sociais, Design Thinking e User Experience Design."

Afinal, é diferente do design instrucional (DI)? Veja a diferença nas postagem de vagas de empregos:

LX Designer em uma universidade

Concebe e desenvolve experiências de aprendizagem online, incluindo cursos e programas, em alinhamento com as melhores práticas em pedagogia online e design de interface do usuário. Parceiros em estreita colaboração com professores e programas para criar as melhores experiências on-line.

Design instrucional em uma universidade

O Designer Instrucional é responsável por facilitar o processo de design para uma instrução eficaz e de qualidade, além de fornecer consultoria pedagógica e curricular para o desenvolvimento de cursos on-line. O Designer Instrucional trabalha em estreita colaboração com o corpo docente e especialistas no assunto (SMEs), pesquisando e incorporando as tendências atuais do setor, estratégias instrucionais comprovadas e medidas de qualidade no currículo.

Veja as peculiaridades por meio deste infográfico que aborda a diferença entre os processo: ADDIE e o LEX via Design Thinking


Aprendendo por Design

O ID usa um processo chamado ADDIE para projetar qualquer coisa, desde treinamento em pessoa até cursos on-line. O Design de Experiência de Aprendizado usa o processo de design thinking.

Sendo treinado formalmente em ID e UX + UI, você poderá encontrar uma considerável sobreposição no processo. Na verdade, o processo UX é divertido e muito familiar para alguns. Se você é um Designer de UX e UI, então uma grande diferença é a UI, porque você está construindo aplicativos do zero, em vez de trabalhar com software existente (por exemplo, Learning Management Systems e tecnologia educacional).

Mas trabalhando em um aplicativo de aprendizado para dispositivos móveis, percebe-se uma diferença nos recursos. O UX / LXD tem muitas tecnologias excelentes e novas disponíveis para todas as etapas do processo. No entanto, eles podem ser facilmente aplicados ao DI.

Algumas pesquisas de Design de Experiência de Aprendizagem sugeriram que o processo de Design Instrucional falha em elementos críticos, como a abordagem centrada no usuário ou centrada no aluno. É subjetivo, por duas razões: o processo é o mesmo. Tanto no modelo ADDIE quanto no design thinking, o primeiro passo é entender o aluno - suas necessidades, interesses e pontos problemáticos. A partir daí, você cria uma experiência de aprendizado. Segundo, se você é um bom Designer Instrucional, então você é centrado no aluno a cada passo.

Como o LXD impactará a indústria da educação?

Embora o LXD ainda seja relativamente novo, está crescendo rapidamente. Em uma rápida pesquisa no LinkedIn, encontra-se 2.908 posições de Designer de Instrução e 1.109 funções de Design de Experiência de Aprendizagem. Acho que começaremos a ver designers instrucionais e UX Designers competindo pelas mesmas posições. O desafio para os Designers Instrucionais será ter um entendimento ou experiência em UX e os Designers UX não terão experiência ou conhecimento em Design Instrucional ou educação em geral.

O que você acha? Que tal investir em ambas?

IDI Instituto de Desenho Instrucional


0 visualização