Tendências 2019 para a Educação à Distância (EaD)



Não diferente de anos anteriores, em especial o ano de 2018 foi bastante agitado para a modalidade EAD, com novas tendências tomando impulso (deep learning, realidade virtual, uso de tecnologias vestíveis (óculos RV) sendo utilizados em cursos de inglês, aprendizado adaptativo e personalizado, além claro, do MEC - Ministério da Educação liberar pólos de EaD pelo Brasil afora com a nova legislação. Mas, o que podemos esperar para 2019? Quais são as principais tendências a serem observadas no próximo ano?

Bom... o ano está terminando, nesta época do ano, quando olhamos com expectativa para o novo e as tendências que afetarão a indústria do aprendizado - especificamente o cenário de eLearning - conseguimos vislumbrar algumas questões aplicadas, das quais falei anteriormente: as corporações realmente fizeram o movimento inverso de trazer “pra dentro” a produção de seus conteúdos, investiram em equipes coesas e ferramentas de autoria mais robustas. Em 2019 eu apostaria no uso de tecnologias vestíveis para treinamento em diversos setores e afirmaria que o uso do BIG DATA e a análise de dados serão os grandes mocinhos da história toda. Pra gente que trabalhar com Desenho Instrucional/Educacional eu indicaria a extensão de atividades em UX Learning voltadas ao learning experience. Afinal são competências complementares.

Mas vou simplificar, afinal ainda existe bastante receio dos profissionais e relutância das instituições em adaptação à esta nova Era que estamos vivendo na Educação. Assim sendo vamos as principais tendências de EaD para 2019 que se tornarão mais fortes à medida que avançamos:

1. Aprendizagem Adaptativa Caminhando ao Próximo Nível

Já previmos que o aprendizado adaptativo e personalizado se tornaria mais forte e com maior atenção dada pelos designers instrucionais. Uma vez apoiada por avaliações baseadas em análises e medição da eficácia do treinamento (learning analytics) sabemos que adaptar e personalizar o aprendizado é o futuro.

Reitero a previsão: a aprendizagem adaptativa e personalizada dará mais passos ligeiros no mercado de EaD. As organizações e os alunos se beneficiarão à medida que as organizações garantirem que haverá melhores taxas de concorrência, e os alunos aproveitarão o processo de aprendizado à medida que conseguirem ver apenas o conteúdo personalizado para eles. Usando avaliações eficazes, os alunos podem pular o conteúdo que eles dominam.

Os LMSs estão se preparando lentamente para competir com plataformas que estão oferecendo aprendizado adaptável. Por isso, será uma tendência importante e interessante a ser observada em 2019. Minha aposta é de que o aprendizado adaptativo já passou pela fase de experimentação e iniciará a fase de usabilidade real.

2. Inteligência Artificial e Assistência ao AprendizOs famosos chatbots ou assistência de inteligência artificial que virou o vilão da EaD. Aqui mesmo no IDI a gente utiliza para o atendimento ao aluno. Muitos acham que é atendimento de robô...o que na verdade é a sua aplicação, apesar de no nosso caso ser uma pessoa de carne e osso (rsss.) Bricandeiras à parte...as organizações agora estão oferecendo soluções inovadoras onde os bots são capazes de guiar os alunos tanto no caminho de aprendizado, como durante os cursos. Veja que interessante!Inteligência Artificial já pode ser usada para prever o comportamento do aluno, bem como ajudar a personalizar o aprendizado. Com base nos módulos que foram tomados pelos alunos e as dificuldades enfrentadas, uma melhor personalização será realizada. Os bots guiados por voz também ajudarão os alunos a pesquisar o conteúdo principal nos módulos. A meu ver, as organizações implementarão novos métodos de suporte de Inteligência Artificial para seus alunos tanto no processo de aprendizado quanto durante o momento de necessidade. Um exemplo disso pode ser um chatbot inteligente que pode atuar como suporte para consultas técnicas.Outros exemplos bacanas pode ser o uso de robôs para ajudar crianças e pessoas com necessidades especiais a aprender novas habilidades e ajudá-las no momento de necessidade.Certamente é uma tendência mais futurista, mas que, certamente mudará o cenário da aprendizagem em 2019 adiante.

3. Microlearning

O Microlearning já não é mais tendência porem foi fortemente utilizada pelo corporativo e institucional educacional de ponta. As organizações estão cada vez mais considerando o microlearning como uma solução indiscutível. É um ótimo método de implementar o aprendizado em micro-cápsulas de conteúdos que são objetivas e podem ser implantadas com facilidade e rapidez nas organizações.

As organizações que desejam aproveitar o microlearning continuarão a se beneficiar desse modo interessante e inovador de aprendizado. Os alunos também se beneficiam quando passam pelos módulos rapidamente e podem repetir o aprendizado muitas vezes também. A retenção é melhor, e eles são menos exigentes em passar por um módulo chato de uma hora de duração.

O Microlearning pode ser implementado como vídeos, pequenos jogos, questionários e infográficos. A grande vantagem do microlearning é que ele pode ser implementado em qualquer dispositivo. Eu sinto que o microlearning continuará a ser uma tendência.

4. Gamificação e Aprendizagem Baseada em Jogos

A gamificação e a aprendizagem baseada em jogos, da mesma forma que o microlearning, já não é mais tendência, mas as empresas estão cada vez mais investindo na aprendizagem baseada em jogos para capacitar e envolver melhor seus alunos. A gamificação melhora as taxas de retenção e aplicação do assunto aprendido no trabalho ou na escola. É a tal da aprendizagem baseada em problemas ou projetos. O aluno consegue visualizar como pode utilizar o que aprendeu na prática.

As organizações vão implementar, cada vez mais, as soluções baseadas em jogos, já que as veem como adicionadores de valor para o aprendizado em toda a organização. Jogos bem pensados, bem desenhados e que atendam às necessidades dos alunos envolvê-los de forma eficaz. Provou-se por numerosas implementações que os jogos ajudam na liberação de hormônios felizes, como a dopamina e a serotonina.

Continua a ser uma forte tendência no ano de 2019 em diante.

5. Aprendizagem Baseada em Vídeo

Também não é uma novidade o uso dos vídeos. Mas esse recurso é um dos melhores modos de treinamento no momento, ainda mais porque existem técnicas avançadas de produção de vídeoaulas cada vez mais interativas. A popularidade de sites baseados em vídeo e plataformas como o Vimeo e Youtube, forçou as organizações a adotar mais vídeos em seus treinamentos. Seja o Treinamento conduzido por instrutor que é intercalado com vídeos informais ou contextuais, ou eLearning, onde os vídeos são parte integrante da disseminação de informações, os vídeos estão aqui para ficar.

O foco é diminuir o tempo de carregamento e o tamanho dos vídeos usando várias ferramentas. O aprendizado baseado em vídeo continuará a crescer e será uma tendência importante a ser observada no ano de 2019 e além.

6. Aprendizagem Social

O aprendizado social envolve a colaboração entre indivíduos no local de trabalho por meio de vários modos, como fóruns, sessões informais de bate-papo, sessões de compartilhamento e círculos de aprendizado. O aprendizado social foi retomado nos últimos anos graças à ênfase na construção de uma organização de aprendizagem. À medida que mais ferramentas colaborativas são desenvolvidas, o aprendizado social continuará crescendo e deixando um impacto no ano de 2019 e além. Considere o uso de comunidades de aprendizagem dentro da organização. Existem plataformas excelentes no Brasil para promover esse recurso.

7. Realidade Virtual ou Realidade Aumentada

Realidade Virtual e Realidade Aumentada estão crescendo rapidamente como modos importantes de implementar o conteúdo da aprendizagem. Foi observado que ao adotar a Realidade Aumentada promove-se uma maneira mais rápida de ensinar vários assuntos, como por exemplo: Ciência e Matemática.

Podemos promover o conteúdo existente por meio de interessantes sobreposições de gráficos e imagens que emocionam os alunos ajudando os alunos a se conectarem melhor ao conteúdo.

Assim sendo, a Realidade Virtual continuará a crescer à medida que é usada no ensino de vários procedimentos. As organizações agora estão considerando a Realidade Virtual como uma solução importante, já que as empresas de eLearning usam estratégias eficazes de Design Instrucional para aprimorar a experiência de RV. Usando uma mistura de fotografias de 360 ​​graus, interações e muitos outros elementos, a RV está se tornando uma experiência útil. As organizações também estão investindo em produtos de aprendizado cognitivo que são aumentados pela RV, especialmente para crianças e pessoas com necessidades especiais.

8. Curadoria de Conteúdo

Curadoria de conteúdo você encontrou muito apoio da comunidade de aprendizado. Empresas e escolas buscam informar trazendo artigos de diversas fontes. O problema maior é o tempo que passamos em curar os conteúdos. Dar a devida tratativa naquilo que é produzido. Assim sendo, minha aposta para este quesito é de que os Designers Instrucionais do futuro serão os grandes curadores de conteúdos na rede relegando a produção tecnológica didática aos UX Designers.

9. UX Design Versus Design Instrucional

Na minha passagem pelo setor educacional como promotora do design instrucional na EaD posso garantir que o UX veio para ficar. Antigamente eram os web designers que criavam soluções digitais para treinamento e educação. Havia o problema do entendimento da teoria pedagógica a andragógicas aplicado ao que era produzido. Mas nem por isso a necessidade de transpor conteúdos para o meio digital deixou de existir. Na verdade o que surgiu foram os DI’s responsáveis pela produção didática digital de cursos e treinamentos com abordagens específicas. Tendo que assumir o papel de programador de cursos e currículos, demonstrando, inclusive, competências de programação e uso de ferramentas de autoria. É aí que mora a tendência. A Educação digital moldade pela experiência do usuário. Não apenas pelo material que ele acessa e a tratativa dos conteúdos e adaptação dos recursos utilizados e implementados pelo designer instrucional, mas também pela preocupação de como o usuário interage com a plataforma. Assim sendo uma tendência grande é usar as competências do UX Design na Educação. Que tal começar por aí?

10. Softwares de Hologramas

Você já viu um filme do Tom Hanks "Hologram for the King" (tem na Netflix) onde as reuniões eram feitas via webconferência por hologramas. Pois é. Juntamente com a realidade virtual o holograma já é considerado para o setor educacional. O céu é o limite no uso de recursos inovadores. Já existem escolas de negócios na Inglaterra utilizando o método . Um efeito de ilusão semelhante tem sido utilizado pela indústria do entretenimento, em shows que "recriam" artistas mortos, como Tupac Shakur, Michael Jackson e Elvis Presley, em performances ao vivo.A Imperial College vai limitar inicialmente as aulas com hologramas à Escola de Negócios, mas espera que o uso da tecnologia possa se tornar frequente."A alternativa seria usar softwares de videoconferência, mas acreditamos que esses hologramas têm um senso de presença muito maior", disse à BBC David Lefevre, diretor do Edtech Lab, laboratório de tecnologia da universidade. Logicamente ainda não temos nada parecido no Brasil mas é um tendência à ficar de olho num futuro próximo.

IDI – Instituto de Desenho Instrucional

#tendenciasead2019 #tendencia2019 #elearning2019 #ead2019

0 visualização