6 Razões pelas quais os Programas de E-Learning Podem Falhar



Apesar do fato de que, em desenvolvimento comparativo, o eLearning corporativo cresceu em impressionantes 900% desde 2000, vários programas de treinamento ainda são oferecidos em uma maneira antiga de oferecer cursos de eLearning. Esta falta de evolução é frequentemente óbvia devido a 6 erros comuns.

1. Falta de envolvimento

Muitos estagiários podem desistir de cursos ou simplesmente ignorar as aulas imediatamente se as considerarem chatas. Os programas de treinamento mais antigos eram em sua maioria unidimensionais, feitos principalmente de texto.

Até 2019, o vídeo será responsável por 80% da atividade da web no planeta.

Isto é devido ao fato de que os alunos modernos estão com fome de mídia. Assim, a menos que haja vídeos, sons e gráficos suficientes, o conteúdo não atrairá os usuários. Além disso, é crucial que os programas de e-learning ofereçam um senso de progressão e conquista aos usuários. As pessoas gostam de sentir uma sensação de sucesso sempre que fazem alguma coisa. Os funcionários não são diferentes quando se trata de treinamento e desenvolvimento. Portanto, deve haver testes e maneiras para os alunos verificarem sua progressão, caso contrário, eles podem sentir que não estão chegando a lugar nenhum. Tendo isso em mente, os designers instrucionais podem adicionar estratégias de gamificação que definitivamente aumentará a competição entre os alunos e, eventualmente, melhorará a dedicação do usuário em relação ao programa.

2. Falta de Interatividade

Uma simples demonstração de novos conhecimentos não é suficiente. É de extrema importância fornecer oportunidades para os alunos se envolverem ativamente com os tutores, outros alunos ou até mesmo com o próprio curso. O aluno precisa praticar suas novas habilidades em atividades significativas e interagir com outros alunos em uma variedade de conversas. Essa interatividade ajudará o aluno a superar o medo criado por causa da insegurança que a barreira da distância traz. Os educadores desempenham um papel vital, pois podem fazer com que os alunos interajam e cooperem com outros participantes de maneira síncrona ou assíncrona, incentivando-os a responder às suas perguntas criando uma comunidade de aprendizado.

3. Abordagem Centrada no Professor

Os educadores devem estar presentes, mas não devem ser dominantes. Eles devem dirigir a conversa, mas nunca monopolizar a discussão. Eles devem interagir com os alunos com frequência e garantir que todos tenham a chance de participar, mas não devem, sob nenhuma circunstância, obscurecê-los. O educador deve estar ativo e bem informado para fornecer apoio contínuo quando necessário. Isso é essencial, pois o feedback deve ser regular para que o aluno não se sinta abandonado em um programa de treinamento inativo ou de baixo valor.

4. Sobrecarga de Informações

Para minimizar as despesas logísticas, é comum as empresas oferecerem programas intensivos de treinamento que duram um dia ou até dias. A realidade é que as pessoas não podem absorver e lembrar de todas essas informações naquela quantidade limitada de tempo, o que significa que mais do que o usual do que é ensinado será rapidamente esquecido e eventualmente perdido.

A geração do milênio tem menos tempo de atenção do que as gerações anteriores, fazendo com que o material de eLearning seja dividido em partes da informação mais gerenciáveis. Isso é chamado de microlearning. O Microlearning divide o conteúdo da informação em partes pequenas, fáceis e rápidas, o que ajuda os alunos a alcançarem um objetivo distinto de cada vez.

5. Necessidade de aplicação no mundo real

O Instituto de Pesquisa da América descobriu que o eLearning aumenta as taxas de retenção de 25% para 60%, enquanto as taxas de retenção de treinamento presencial são muito baixas em comparação: 8% a 10%. Por outro lado, se o aluno não usar as habilidades adquiridas após o treinamento, a retenção do conhecimento diminuirá rapidamente. É um erro comum que alguns programas de treinamento não dêem ao aluno uma maneira de praticar novos conhecimentos.

Um programa de treinamento bem-sucedido é necessário para fornecer ao usuário os meios para conectar as informações aprendidas em situações da vida real. Portanto, o programa deve incorporar meios para o aprendiz praticar novos conhecimentos Afinal, um programa de treinamento agrega valor a uma organização apenas quando se alinha às expectativas dos funcionários e melhora o desempenho dos negócios.

6. Não é compatível com dispositivos móveis

Um curso de eLearning tem que ser não apenas significativo e envolvente, mas também de fácil acesso. Se o programa de treinamento não for otimizado para dispositivos móveis, é altamente duvidoso que ele satisfaça as necessidades dos participantes. As pessoas usam dispositivos móveis muito mais do que usam computadores pessoais. Isso porque é possível usar dispositivos portáteis quando e onde. As pessoas usam dispositivos móveis o dia todo. Eles assistem a vídeos, jogam videogames ou interagem com outras pessoas enquanto estão deitados em suas camas, enquanto esperam na estação de metrô ou até mesmo enquanto assistem à TV. Portanto, os programas de treinamento em eLearning devem ser desenvolvidos de uma forma que seja amigável para dispositivos móveis.

É certo que existem outros fatores que contribuem para o fracasso de alguns programas de treinamento em e-learning, mas os mencionados neste artigo são alguns dos mais comuns. Se essas 6 questões forem levadas em consideração, muitos problemas potenciais não surgirão, e os formandos definitivamente desfrutarão de uma experiência de aprendizagem muito mais intrigante e produtiva.

IDI Instituto de Desenho Instrucional

#ead #designinstrucional

0 visualização