Usando Big Data para Melhorar a Aprendizagem Corporativa



Podemos usar o Big Data para melhorar as experiências de aprendizado no local de trabalho? A tecnologia permite que grandes quantidades de dados sejam analisadas e organizadas para personalizar e melhorar bens e serviços. E é por esse motivo que agora é possível usar o Big Data para aprimorar a educação corporativa. mas como o Big Data pode contribuir para uma melhor experiência de e-learning?

No escritório o Big Data funciona assim: cada telefonema, texto, pesquisa na web ou visita ao site deixa um rastro de dados. Estima-se que a comunidade humana gere dados suficientes a cada 24 horas para encher uma biblioteca em 70 vezes o seu número original. Apesar de parecer alarmante, existem muitos benefícios. O Big Data tem a capacidade de analisar grandes quantidades de dados complexos e esse valor deriva da análise, pois os dados por si só podem, por vezes, revelam-se infrutíferos. A tecnologia permite que essas enormes quantidades de dados sejam analisadas e organizadas para personalizar e melhorar bens e serviços. Mas precisa alguém para organizar as métricas e estipular quais dados deverão ser analisados.

Personalização na educação e a Aprendizagem Adaptativa

Um corpo crescente de pesquisas mostra que os alunos se lembram mais quando são adequadamente desafiados e se envolvem mais quando o material do curso é adaptado de acordo com suas preferências de aprendizado. O Big Data é uma forma de feedback constante que permite aos educadores medir a compreensão e as respostas dos alunos às informações apresentadas. Esse feedback resultou no fornecimento de soluções de e-Learning para muitos dos problemas mais comuns na educação, incluindo o currículo de tamanho único.

As tecnologias de aprendizagem digital na educação, como sistemas de aprendizagem on-line e até jogos, coletam constantemente dados sobre o progresso dos alunos. No passado, os educadores tinham que confiar em exames periódicos para medir a compreensão do aluno e ajustar os planos de aula de acordo. Ter acesso a informações incrementais torna o eLearning adaptativo e tornou-se uma parte vital da formação do currículo que melhor acomoda os diversos estilos de aprendizagem dos indivíduos dentro de um grupo.

Efeito Positivo na Educação.

O Big Data também pode ter um efeito positivo no acesso à educação. Por exemplo, ao utilizar a análise de dados em conjunto com o aconselhamento de faculdades, com o objetivo de aumentar a taxa de graduação de alunos de baixa renda podemos promover, através dos dados, a personalização da educação, trabalhar questões como retenção, acessibilidade e a correção dos cursos para torna-los mais eficazes e motivantes aos alunos virtuais.

O eLearning também se tornou um elemento importante do treinamento de funcionários, o que oferece oportunidades de progresso na carreira. Tanto as empresas quanto os funcionários se beneficiam quando o Big Data é usado para criar cursos eficazes que garantam um entendimento completo do assunto que pode ser combinado com a prática prática. A análise de aprendizado pode informar o desenvolvimento de todos os processos educacionais e de negócios dentro de uma empresa. Eles também podem resultar em um melhor entendimento dos funcionários e suas interações com o software e entre si. Os gerentes que entendem os pontos fortes e fracos de seus funcionários são capazes de fazer ajustes organizacionais que utilizam esses pontos fortes ao máximo.

Análise contextual Versus Análise preditiva

Seja em escolas, universidades ou empresas, a análise preditiva e outros métodos avançados de coleta de dados extraem valor dos dados. A diferença para quem trabalha com desenho instrucional é que antes usávamos a metodologia ADDIE tornando um curso diferente do outro pela análise do contexto e do público de um curso (apenas visualizando ou buscando informações parciais sobre requisitos básico de fluência digital, conhecimento prévio do aluno, etc). Hoje já estamos usando a análise preditiva com acesso à dados precisos levam a melhores tomadas de decisão, maior eficiência e redução de riscos e custos. Os educadores podem acompanhar as páginas visitadas com mais frequência, o que os alunos mais recomendam aos colegas e até mesmo a hora do dia que os alunos aprendem melhor.

Educadores que usam plataformas de orientação contextual preditiva baseadas na nuvem, combinadas com programas de software, possibilitam que os alunos aprendam em seu próprio ritmo. Ao ajustar as configurações, os administradores podem orientar os alunos individualmente com base em suas necessidades pessoais e estilos de aprendizagem. Eles podem fornecer feedback imediato e interação e atualizações em tempo real. Todos esses elementos de e-learning contribuem para uma experiência educacional mais significativa. Foi-se o tempo da análise contextual básica moldada no evento de acesso a dados parciais.

O uso das pegadas digitais que fornecem Big Data permite que os educadores acompanhem o progresso de cada aluno durante sua jornada educacional. E isso é apenas o começo. Ao fazer ajustes em programas de aprendizagem que reflitam com precisão os estilos e capacidades de aprendizado dos usuários, os educadores podem garantir que a jornada seja bem-sucedida.

Assim sendo, o Big Data ainda pode parecer um tanto desconhecido porem o uso da análise de Big Data em um ambiente educacional beneficia tanto os educadores quanto os alunos de e-learning, criando resultados mutuamente benéficos e um ambiente melhor e mais produtivo para todos os envolvidos. Sentiu o quanto o Designer Instrucional está envolvido com essa nova tendência? Impossível pensar em criar qualquer tipo de instrução sem antes analisar os dados existentes. Tá na hora de investir nessa formação. Pense nisso!

IDI - Instituto de Desenho Instrucional

#impactodobigdatanaeducacao #obstáculosàaprendizagem #impactodousodebigdata #bigdata #bigdatanaead #bigdatanaeducacao

0 visualização