4 Dicas para Usar Interatividade na Aprendizagem



Com um número cada vez maior de maneiras de como criar conteúdos de aprendizagem, enfrentamos a questão de como usar corretamente a interatividade de aprendizado ao invés de permitir ou não fazer o conteúdo interativo. Uma das perguntas que os designers de instrução, professores, formadores e equipes editoriais enfrentam diariamente é "Quantas atividades interativas devo incluir?".

A verdade é que podemos construir um círculo de confiança com nossos alunos através da interatividade na aprendizagem, mas não existe uma regra ou fórmula mágica para calcular quantas atividades interativas devemos usar na criação de experiências de aprendizagem. Tudo é dado pelo bom senso – algo muito útil ao DI que se preze. Tão tentador quanto "engajar" o aluno com interatividade, seu uso pode ser uma faca de dois gumes. Quando utilizado corretamente, aprender com interatividade pode motivar o aluno a participar no próximo módulo. Quando usado corretamente, a interatividade pode proporcionar uma pausa reflexiva antes de mergulhar em um conceito complexo. No entanto, quando utilizado de forma inadequada, a interatividade pode ser contraproducente para a experiência de aprendizagem.

4 dicas a ter em mente ao usar a interatividade de aprendizagem

Usar interatividade é uma oportunidade de se envolver, manter o engajamento ou, infelizmente, perder um aluno. Cada processo interativo ensinará ao um conceito pretendido, ou ensinará o aluno a ignorar as atividades interativas. Para evitar o último, com cada etapa do planejamento, mantenha em mente a confiança potencial do aluno.

1. Razão: "Eu confiei em que houvesse uma razão para engajar o aluno"

O design de aprendizagem pode estabelecer uma linguagem não dita entre o aluno e o conteúdo. O aluno não deve ser responsável por decifrar por que eles só foram convidados a gastar tempo em uma atividade interativa. É seu trabalho aprender, e nosso trabalho para tornar isso tão fácil quanto possível.

A presença de um sinal interativo pode indicar ao aluno que este é um conceito digno de atenção extra. Seja um objetivo de aprendizagem direta ou um conceito fundamental para um objetivo de aprendizagem, direcionando conceitos de aprendizado de alto valor como candidatos para a interatividade, estabelece um precedente e uma cadência para o fluxo do conteúdo.

A presença de interatividade também pode indicar ao aprendiz que existe um conceito digno de tempo extra. Este pode ser um conceito multi-fase ou a interseção de conceitos múltiplos. Isso exigirá um período de concentração dedicada devido à sua profundidade. A interatividade pode ajudar a fornecer clareza a um assunto mais profundo que às vezes não pode ser alcançado com conteúdo estático, mas esse engajamento vem com um preço associado de tempo.

2. Tempo: "Confiei que isso pudesse ser um bom uso do tempo do aluno"

Respeitar o valor do tempo e da energia do aprendiz aplica-se à qualidade, e não apenas à quantidade. Um tempo mais rápido para completar não é necessariamente benéfico se o conteúdo não for absorvido. Eu deveria estar perguntando "Como posso apresentar esse conteúdo de aprendizagem de uma forma que será verdadeiramente absorvida pelo aluno?".

Às vezes, isso pode resultar no aumento do ritmo de um exercício, enquanto outras vezes podem se traduzir em desaceleração. Às vezes, o ritmo correto pode ser auto-estimulado. O que é mais importante é que eu me comprometa a gastar o tempo do aprendiz com sabedoria. Um interativo bem estruturado que leva mais tempo para ser concluído do que ler conteúdo estático pode ser um melhor uso do tempo do que o conteúdo estático que leva várias rodadas de revisão para absorver.

E se nós gostamos ou não, as vezes o melhor uso da interatividade é não o usar em uma situação particular. Mantenha o aluno focado no aprendizado, não com a tentativa de decifrar por que eles foram convidados a realizar uma tarefa que na verdade não conseguiu fazer nada ou não combinava com o propósito declarado.

3. Objetivos de aprendizagem: "Confiei que minhas ações pudessem ser relevantes para a tarefa"

Por mais estranho que possa parecer num contexto digital, para mim, as interativas sempre tiveram uma qualidade visceral para elas. Geralmente, existem muitas maneiras de transformar o conteúdo estático em conteúdo interativo, de modo que o desafio consiste na criação de um interativo que seja verdadeiro para o espírito do objetivo de aprendizagem. Em outras palavras, a atividade precisa "sentir" de uma certa maneira.

Se, por exemplo, você está seguindo a Taxonomia da Bloom, isso significa estabelecer uma conexão direta entre o verbo mensurável e a construção do interativo. Enquanto a idade / habilidade for apropriada, se meu objetivo de aprendizagem for "organizar", o exercício deve ser concluir a colocação adequada de objetos em vez de escolher uma lista de arranjos pré-selecionados. Se o meu objetivo de aprendizagem é "analisar", o exercício deve ser uma análise original, e não simplesmente escolher se uma análise fornecida é Verdadeira ou Falso.

4. Conhecimento: "Eu confiei que se eu engajasse o aluno resultaria em compreesão automática"

Eu estabeleci e mantive a confiança do aprendiz, fornecendo-lhes interativos que representaram importantes conceitos de aprendizado, fizeram bom uso de seu tempo e "sentiram" certo. Mas tudo isso é irrelevante se o aluno não sabe se eles aprenderam. Permita que o aluno avalie sua própria compreensão.

Ao emparelhar um interativo que apresenta o material de aprendizagem com uma avaliação interativa relacionada é sempre uma opção, prefiro planejar interativos que apresentam e avaliam. Ao fornecer uma maneira integrada para que o aluno se auto avalie, menos tempo é gasto passando de um interativo para outro, diminuindo as chances de que o fluxo de aprendizagem possa ser interrompido. A atenção do aprendiz permanece dentro do conceito em mãos. Integrar perfeitamente uma avaliação formativa no mesmo interativo dá ao aluno controle sobre o ritmo da aprendizagem e a auto avaliação.

Embora não haja resposta para "Quantas atividades interativas devo incluir? É interessante observar essas dicas acima para não se perder no contexto e deixar de usar o bom sendo na hora de determinar quantas vezes irá usar esse recurso.

IDI – Instituto de Desenho Instrucional

#interatividade

28 visualizações