4 Estratégias para Criar um Microlearning que Realmente Funciona


No contexto corporativo temos visto uma grande procura pelo formato microlearning. Pela facilidade de acesso, pela comodidade em ter respondida uma questão de forma mais pontual, pela qualidade do tempo que é praticamente nulo para quem trabalha e ainda deve ser treinado…razoes não faltam.


Você, quanto DI, sabe muito bem do poder de oferecer um conteúdo de aprendizagem em pedaços menores ou em microcápsulas de conhecimento. Mas a grande questão é: como você realmente faz isso? Como você executa essa idéia fantástica para criar materiais de aprendizado que realmente tenham impacto? Compartilharemos quatro estratégias para criar o microlearning que funciona.


Nossa experiência com o microlearning remonta vários anos, mesmo antes de o microlearning se tornar um chavão, e gostamos de ajudar inúmeros clientes a atender necessidades específicas de desempenho usando recursos e programas de microlearning. Essas são dicas que compartilhamos com nossos clientes e esperamos que você também os ache úteis.


1. Defina como você usará o microlearning


A primeira coisa que recomendamos é descobrir como você usará o micro-aprendizado. O microlearning pode ser usado de quatro maneiras principais:


  • Preparação antes de um evento de aprendizado mais longo

  • Acompanhamento para reforçar um evento de aprendizado mais longo

  • Treinamento autônomo

  • Suporte de desempenho


Se você não tiver certeza de como seu recurso de aprendizado será usado, você vai empacar, tentando "ficar no micro" sem realmente saber por onde começar ou até mesmo como avaliar se o que você está criando provavelmente funcionará.


Reserve um tempo para determinar qual categoria você está tentando preencher com seu ativo de aprendizado. Descobrimos que essas categorias são críticas porque você projetará os recursos de maneira diferente com base no que está tentando alcançar.


2. Identifique um objetivo de desempenho


Neste ponto você deve determinar o objetivo desta peça. Que objetivo de aprendizado ou desempenho você alcançará? Às vezes nos perguntam se realmente precisamos de um objetivo para um pequeno ativo de microaprendizagem. Sempre dizemos às pessoas que você deve ter um objetivo. Se você não tem um motivo para criar esse conteúdo, não precisa construí-lo.


Um objetivo de aprendizado é bom, mas sempre que possível, um objetivo de desempenho é melhor. Realmente esforce-se para identificar um comportamento real do aluno que você impactará. Quando você se concentra no desempenho, o aluno (e a organização) sempre identificarão maior valor nos materiais que você criar.


3. Determine o melhor meio para o ativo de microlearning


Um equívoco comum é que o microlearning é sempre vídeo - ou sempre eLearning. Mas você deve pensar de forma mais ampla. O microlearning pode assumir qualquer uma das seguintes formas:


  • Baseado em texto (como um parágrafo em um email, uma página em seu sistema social ou um PDF)

  • eLearning

  • Vídeo

  • Infográfico

  • Podcast


Quando você considera o microlearning em geral, ajuda a considerar todas as maneiras pelas quais você pode alcançar seus alunos e todas as maneiras pelas quais você pode agregar valor a eles. O que nos leva à última estratégia.


4. Concentre-se nos alunos


O uso do microlearning significa atender às necessidades dos alunos rapidamente, para que eles possam voltar ao trabalho sem gastar o seu precioso tempo. Para ser centrado no aluno, você deve considerá-los (obviamente) e às suas necessidades - quem são, como é um dia típico na sua rotina de trabalho e o que provavelmente desejam da experiência de aprendizado.


Quando você se concentra nos alunos e em suas necessidades, pode criar melhor soluções que atendam a essas necessidades. Ao projetar o ativo, faça as seguintes perguntas continuamente:


  • Quais são as ações mais críticas que o aluno precisa agora?

  • O aluno desejará usar o tempo em seus dias ocupados para isso?

  • O aluno achará este recurso útil?

Certamente, existem tópicos que não são inerentemente centrados no aluno, tais como a implementação de uma nova política ou uma variedade de tópicos de conformidade. Porém, ao abordar seu treinamento, procure oportunidades para tornar o tópico o mais focado no aluno possível. Tente fazer o treinamento sobre os alunos e suas necessidades. A cada passo do seu design, pergunte a si mesmo se você está atendendo a essas necessidades. Fazemos isso regularmente com nosso microlearning, e sempre ajuda. Escolha o microlearning pelas razões certas.


Uma das maiores razões pelas quais os esforços de microaprendizagem fracassam é porque as pessoas decidem se tornar micro para fazer a última novidade; eles se concentram no tempo de assento, mas não se concentram o suficiente nas necessidades da empresa ou dos alunos. Isso resulta em um conteúdo curto, mas que não utiliza bem o tempo dos alunos. O aprendizado irrelevante ou ineficaz sempre frustrará seus alunos, independentemente de quão curta seja a peça.


Se você seguir as quatro recomendações acima, é mais provável que você crie recursos de microlearning que realmente façam a diferença para seus alunos. Em vez de usar o micro apenas para dizer que fez, você pode dizer que foi micro e isso fez a diferença!


Quer conhecer mais? Assista essa palestra aqui


IDI - Instituto de Desenho Instrucional


#desenhoinstrucional #designinstrucional #desenhoeducacional #ead #elearning #cursosonline #treinamentosonline #treinamento #desenvolvimento #conteudosead #experienciasdeaprendizagem #rh #dho #EducaçãoCorporativa #Aprendizagem #GestãoDePessoas #UserExperience #GestãoDoConhecimento #professor #professora #professores #professoras #microlearning

0 visualização