5 Dicas da Neurociência para Usar o Storytelling em Treinamentos Online


Antes de discorrermos sobre esse como o entendimento da neurociência é importante no uso do storytelling, aprenda o que significa storytelling: nada mais é do que narrar uma historia. A neurociência do storytelling o fará repensar a maneira como você cria uma narração de histórias.


Compreender como os funcionários aprendem é de extrema importância quando você, designer instrucional, resolve usar o recurso da narração de historias ou Storytelling.


Sabemos que professores e designers instrucionais podem modificar a forma de apresentação de determinado módulo de um livro ou as suas apresentações de PowerPoint usando o recurso de narrar uma história, a fim de que o conteúdo nao fique tao maçante!


Retransmitir histórias ou usar percursos narrados resultam em progresso dos alunos quando estes têm que lidar com atividades, tarefas, assuntos e lições chatas. Sua abordagem episódica atrai olhares e entendimentos dos alunos ... muito mais do que aquelas apresentações sequenciais sem sentido, que vemos muito em power points por aí...


A neurologia levou vários séculos para validar o que os pintores de cavernas pré-históricos da Indonésia já sabiam: contar histórias faz a comunicação mais efetiva. No entanto, as evidências mostram que os nossos cérebros são mais propensos ao raciocínio relacional e analógico, e por este motivo, os instrutores ainda recitam pontos de dados com marcadores sem contexto, apesar da grande quantidade de recursos e tecnologia ao nosso alcance. E isto é especialmente verdadeiro se você é um treinador corporativo.


Com planejamento adequado e fontes gratuitas como o YouTube EDU e TED X, os alunos podem ser beneficiados com uma comunicação mais ativa e eficaz por meio do storytelling. Mas antes vamos compreender como o cérebro humano se comporta ao lidar com percursos narrados.


A palavra "estimulação" pode ser a chave da aprendizagem. Em 2006, a revista NeuroImage publicou um estudo realizado por pesquisadores da Espanha, que pediu aos participantes que leiam palavras com fortes associações olfativas, juntamente com palavras neutras.


Os participantes foram escaneados por uma máquina fMRI, pois observaram as palavras em espanhol para "perfume" e "café", para as quais o córtex olfativo primário se acendeu. No entanto, a região permaneceu escura quando viu palavras como "cadeira" ou "chave". Um estudo semelhante realizado por pesquisadores da Universidade Emory despertou com sucesso o córtex sensorial com metáforas como "o cantor tinha uma voz de veludo" e o córtex motor com os outros , como "Pablo chutou a bola".


Ao processar o significado dessas frases, os sujeitos envolveram suas áreas sensoriais primárias e as áreas de Broca e Wernicke. Isso confirma que a narrativa ativa nossas áreas de processamento de idiomas simultaneamente, desencadeando mais partes do seu cérebro.


Os defensores da prática reflexiva afirmam que uma aprendizagem significativa é possível quando a informação é usada de forma pensativa, reflexiva e formalizada.


Segundo Maxine Alterio, que pesquisa histórias formalizadas no Otago Polytechnic na Nova Zelândia, contar histórias pode fazer mais do que informar e divertir. Ouvir histórias ou lidar com percursos narrados ajuda os alunos a estimular habilidades de pensamento crítico, capturar complexidades não-linguísticas de situações e construir novos conhecimentos.


Então, veja como aproveitar a narrativa em cursos online:


1. Saiba mais sobre seus alunos


Desenvolva um percurso que inclua como e onde os seus alunos se envolverão com o conteúdo de aprendizagem, pela análise contextual conheça os seus gostos e, em seguida crie narrativas em torno de seus assuntos favoritos.


Use recursos de análise contextual para garantir que você esteja obtendo os dados que você precisa para atingir e envolver seus alunos de forma efetiva.


2. Use uma estrutura de narrativa de impacto


Não arrisque fazer seu curso soar como um comercial de venda de shampoo. Crie histórias incluindo, desde o início, um gancho/gatilho onde você expõe caracteres, configuração e conflito, detalha a ação crescente em que o conflito central emerge, e finalmente encerre a história com uma resolução. Certifique-se de ter um clímax e apelos forte.


3. Aprender pensar nos detalhes


Os detalhes vívidos tornam as histórias populares para alunos. Detalhes, quando particularmente adaptados ao seu público, dão sentido as histórias e promovem total credibilidade.


4. Use a tecnologia ao seu redor


Como analista de treinamento corporativo, você certamente tem acesso à imagens, vídeos carregados de emoção e apelo institucional, uma ampla gama de sons e música, apresentações informativas, SlideShare, apresentações prévias de power point e outros recursos de qualidade. Use-os em sua história!


5. Conte Histórias Relevantes


Quando o cérebro percebe os dados como relevantes, os efeitos cognitivos aumentam à medida que os esforços diminuem. Assim, para tornar o seu conteúdo de aprendizagem bem estruturado e mais eficiente, alinhe a história com um ou vários dos seus objetivos de aprendizagem.


Existe tal coisa como narração de histórias ruins?