5 Passos para se Tornar um “Herói” de Jogos de Treinamento



A maioria das pessoas são campeões de curiosidade e prosperam com imaginação, exploração, competição e recompensas. Acontece que cada um desses adjetivos se alinha bem com os fundamentos dos jogos de treinamento.

Os jogos existem há milhares de anos e consistentemente envolveram os alunos com conteúdo em um nível muito mais profundo do que a instrução passiva (palestras, vídeos, leitura, etc.). Na última década, estudos conduzidos por Harvard e MIT ligaram os jogos educacionais ao aprendizado significativamente melhorado. Em um estudo conduzido pela Federação de Cientistas Americanos, eles afirmaram que as pessoas lembram apenas 10% do que lemos, 20% do que ouvimos, 50% do que ouvimos quando assistimos a alguém demonstrá-lo e 90% do que ouvimos nós mesmos. Os jogos nos obrigam a experimentar as coisas por nós mesmos e, como resultado, levam o material de aprendizado para a memória de longo prazo de um jogador (ou, no caso da educação, do aluno), garantindo que o conteúdo seja mantido e acessível no futuro.

Sabendo dos benefícios dos jogos de educação, abaixo estão 5 dicas para cada educador considerar ao implementar jogos em sala de aula.

1. Identifique porque você quer usar um jogo

O “porquê” e o “como” devem sempre preceder o “que”. Comece perguntando por que você planeja usar um jogo. Ao identificar o objetivo de um jogo, você rapidamente restringirá sua pesquisa para o caminho certo. Você quer ensinar os alunos sobre um novo tópico, apoiar os alunos que estão lutando com os conceitos básicos, observar como os alunos abordam diferentes desafios, tornar seu conteúdo mais interessante, testar a compreensão básica, etc?

2. Estabelecer quem é seu público-alvo

Ao criar um jogo, tenha em mente três tipos de jogadores (Empreendedores, Exploradores e Socializadores). Cada tipo de jogador se envolve com os jogos de uma maneira única. Considere seu público ao escolher um jogo e faça algumas suposições sobre como ele se envolverá com seu jogo.

- Os empreendedores jogam jogos por diversão, mas no fundo do coração, eles querem vencer o jogo, aqueles que os cercam e compartilhar seu sucesso com todos. Empreendedores precisam de um desafio consistente (novos personagens, atividades, níveis) e progressão (pontos, distintivos, tabelas de classificação) para permanecerem engajados.

- Os exploradores são pessoas curiosas e abordam a maioria dos jogos com o desejo de virar todas as pedras e descobrir todos os segredos. Eles prosperam em enredos profundos com narrativas abrangentes cheias de reviravoltas e estão mais focados na jornada do que no sucesso ou fracasso.

- Os socializadores são atraídos para os jogos para colaborar, compartilhar seu ponto de vista e encorajar os outros ao longo do caminho. As características sociais aumentam os benefícios dos jogos educativos, ajudando os jogadores a aprender uns com os outros.

3. Escolha um jogo que se alinhe com seus objetivos e apele ao seu público

Considere fazer ou escolher um jogo que seja imersivo, multi-nível e desafiador sem ser muito complicado. Depois de pousar em um jogo que você acha que é apropriado, faça o jogo sozinho ou, melhor ainda, com colegas, amigos ou familiares antes de apresentá-lo à turma. Durante essas sessões práticas, continue fazendo as seguintes perguntas:

Este jogo está alinhado com seus objetivos educacionais?

- O jogo é intuitivo?

- Esse jogo vai agradar a todos os tipos de jogadores e manterá todos envolvidos?

- O jogo pode se adaptar, baseado no desempenho / decisões de cada jogador?

- Este jogo pode testar suficientemente o conhecimento / habilidade do seu público?

4. Dedique o tempo de aula suficiente para garantir que seu jogo seja eficaz

Considere alocar um espaço consistente no seu calendário semanal, mensal ou trimestral para o jogo. Oferecer um parquinho prático só aumentará o que você está ensinando e dará aos alunos a oportunidade de levar sua aula para dar uma volta, de forma colaborativa e competitiva.

5. Colete o máximo de dados possível

Ao coletar dados de jogadores individuais e de grupos de cada jogo, você identificará rapidamente as lacunas de conhecimento e terá o poder de refazer seu conteúdo de treinamento para ser mais eficaz. Comece com os dados da linha de topo, como o número de usuários, pontuações, classificação, sessões, duração da sessão,% de perguntas corretas / incorretas e total de perguntas respondidas. Aprofunde um pouco mais analisando os resultados individuais, analisando todas as sessões jogadas, como cada jogador respondeu a cada pergunta por sessão, quantas tentativas levaram antes de responder corretamente a uma pergunta e identificou insights sobre aquisição e retenção de conhecimento. Por fim, considere as macrotendências de cada pergunta, incluindo o tempo necessário para responder, o número de vezes que os jogadores tentaram responder e a porcentagem de tempo que os jogadores responderam correta / incorretamente. Quanto mais você analisar, mais impactante será seu próximo plano de aula.

No mundo dos jogos, não existe algo perfeito. Concentre-se na diversão primeiro, mantenha o seu jogo fluido e esteja aberto para fazer alterações ao longo do tempo. Tente não pensar demais nisso. Como os imperadores romanos costumavam dizer “deixe os jogos começarem”.

IDI Instituto de Desenho Instrucional

#games #gamesnaead #aprendizagembaseadaemgames #desenhoinstrucional

0 visualização