A Mudança para o Ensino Online será Benéfica ou Prejudicial para o Aprendizado Geral?



Tudo isso ainda pode ser verdade, mas a nova realidade é que o COVID-19 mudou o coletivo (de maneiras úteis e não) e os nossos trabalhos no dia a dia, especialmente no caso dos Designers Instrucionais - responsáveis ​​por ajudar a fornecer instrução e aprendizado em suas instituições.


Portanto nos concentraremos em uma pergunta que está gerando uma boa discussão entre especialistas de ensino e aprendizagem: Qual o impacto dessa imersão repentina e forçada e a experimentação com formas de aprendizado ativadas pela tecnologia no aprendizado online no ensino superior?


Como a explosão do aprendizado remoto - muitos dos quais podem ser primitivos e de qualidade duvidosa - pode afetar atitudes e impressões de um modo de aprendizado que já luta para obter amplo apoio de professores e alunos?


A perspectiva de centenas de milhares de professores e estudantes que se aventuram no ciberespaço acadêmico pela primeira vez levou alguns comentaristas a acessarem as mídias sociais para prever que esse período pode alterar o cenário a longo prazo para a educação on-line. "Todo membro do corpo docente oferecerá educação on-line. Todo aluno receberá educação on-line. E a resistência à educação on-line desaparecerá como uma questão prática”


Ocoronavírus poderia ser um momento de "cisne negro" - mais um catalisador da educação on-line e de outras ferramentas de tecnologia da informação do que décadas. pontualidade e exortações corporativas em benefício próprio ". Continuando: "Parece seguro dizer que isso não só será enormemente perturbador, mas também mudará o paradigma. O 'cisne negro', aquele evento imprevisto que muda tudo, está sobre nós”.

Isso é certamente possível - mas um resultado muito diferente parece pelo menos provável. Certamente, alguns dos professores que se aventurarão na educação virtual pela primeira vez por causa do COVID-19 estarão on-line com o tipo de cursos imersivos de alta qualidade que os melhores provedores de ensino on-line oferecem. Porém, grande parte da instrução remota que muitos professores experimentando fora da sala de aula física pela primeira vez oferecerão a seus alunos nada mais será do que palestras em videoconferência, complementadas por avaliações por e-mail.  Aí é que o problemas começa. Cai em qualidade.


Pais discutindo sobre a efetividade do que os alunos estão aprendendo, se o que eles aprendem de fato é assimilado e como isso vai ser avaliado. Independente da quantidade de dúvidas, o fato é que a qualidade do que é oferecido parece ser o grande problema do contexto.

 

Isso levanta muitas questões, desde como os instrutores e faculdades tratam as notas dos alunos até como as instituições tratam as avaliações dos alunos pelos professores. Mas hoje, respondemos sobre a exposição forçada e a experimentação de várias formas de aprendizado habilitadas pela tecnologia levam professores e alunos a ver a educação on-line de maneira mais favorável - ou menos?


Em pouco tempo, centenas de faculdades anunciaram na última semana que, devido a problemas de saúde relacionados ao COVID-19, estão encerrando aulas presenciais e movendo todas as instruções para configurações virtuais. Eles estão usando um idioma diferente - alguns estão falando especificamente sobre mudar para a educação on-line, enquanto outros falam sobre aulas remotas e coisas do gênero. Muitos deles estão aproveitando (e, em alguns casos, prolongando) as férias e outras cessações de cursos para se preparar para a mudança, e levará algum tempo até que possamos realmente dizer que formas de aprendizado as instituições adotarão durante esse período.


Vários especialistas levantaram a hipótese de que esse período de adoção e experimentação de emergência acelerará a adoção do aprendizado on-line e de outras formas de aprendizado com tecnologia. Esse é um cenário. Outra é que a maneira como faculdades e universidades transformam todas as suas instruções nesse período de tempo compactado será uma imitação pálida da aparência do melhor aprendizado on-line de hoje e que exporá faculdades e corpos de estudantes inteiros a esse produto defeituoso será revertido, em vez de avançar, as atitudes dos professores e dos alunos sobre a qualidade da aprendizagem habilitada pela tecnologia.


As perguntas que não querem calar e que você deveria se fazer são:

  1. Que impacto você acha que essa imersão emergencial no ensino a distância / on-line por muitas / a maioria das instituições pode ter na confiança de professores e alunos no aprendizado com tecnologia?

  2. Você acredita que o resultado final (reconhecendo que pode levar algum tempo até que possamos julgar) haverá mais professores acreditando na qualidade do aprendizado on-line e desejando incorporar o melhor do que ele pode fazer no ensino deles (da distinção entre on-line e pessoalmente e o fechamento da diferença de qualidade percebida)?

  3. Você acha que isso poderia produzir um ceticismo maior sobre a eficácia do aprendizado habilitado pela tecnologia, ou porque a experiência de instrutores e estudantes será insatisfatória ou porque as instituições não prepararão suficientemente seus instrutores para ensinar dessas novas maneiras? Ou você imagina algum outro resultado?

  4. O que as instituições e os instrutores individuais podem fazer para garantir um resultado melhor e não pior?

  5. Como você acha que o Designer Instrucional (aquele que promove os programas online) deve estar situado neste novo sistema de adoção de aprendizagem online?

IDI - Instituto de Desenho Instrucional


#educação #desenhoinstrucional #designinstrucional #desenhoeducacional #ead #elearning #cursosonline #treinamentosonline #treinamento #desenvolvimento #conteudosead #experienciasdeaprendizagem #rh #dho #EducaçãoCorporativa #Aprendizagem<