A Real da Profissão de Designer Instrucional


A escolha de se tornar um Designer Instrucional pode levar a uma carreira verdadeiramente gratificante. Você não apenas tem a chance de ganhar a vida fazendo o que você é apaixonado, mas também tem a oportunidade de dar aos outros o dom do conhecimento. Lembre-se de que um curso de e-Learning ou módulo de treinamento elaborado de maneira eficaz pode fazer uma grande diferença na vida pessoal ou profissional de alguém. Com isso dito, saber quais passos tomar para se tornar um Designer Instrucional pode ser crucial para sua carreira.


Primeiramente vamos situar você! Você sabia que trata-se de uma profissão reconhecida pelo Ministério do Trabalho e que a descrição consta na CBO - Classificação Brasileira de Ocupações? Pois é. Mas nem tudo são "flores". A profissão, apesar de reconhecida, não é regulamentada, ou seja: Em se tratando de profissão não regulamentada por lei, é livre o trabalho do impetrante , nos termos do art. 5º/XIII da Constituição é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer. E essa qualificações à que me refiro são as descritas na CBO.


Então vamos lá:


Antes de tudo conheça o documento do IBSTPI - Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI) (The Instructional Design (ID) Domains, Competencies and Performance Statements) International Board of Standards for Training, Performance and Instruction (IBSTPI) Tradução de Hermelina P. Romiszowski


O presente texto trata de competências do design instrucional, de acordo com a proposta do IBSTPI - International Board of Standards for Training, Performance and Instruction (www.ibstpi.org). O IBSTPI é uma comissão internacional de pesquisadores que estuda e publica listas de competências e padrões dos desempenhos que se espera de profissionais nas áreas de Educação, Desenvolvimento de Recursos Humanos e Tecnologias Educacionais.


A lista aqui apresentada é resultado de pesquisas realizadas com acadêmicos e profissionais que desenvolvem atividades de design instrucional, consideradas essenciais para o planejamento de componentes de sistemas de educação a distância. O documento é informativo e educativo e também pode ser usado como ajuda de trabalho pelas gerências de projetos/programas para definir padrões de seleção e qualificação e pelos próprios profissionais que atuam na área, como instrumento de auto-avaliação.

A lista das competências é dividida em 4 grandes partes (domínios) e 22 partes menores (as competências). Dependendo do cargo executado, da estrutura da equipe e da natureza dos projetos desenvolvidos, um determinado profissional pode necessitar mais de determinadas competências em determinados domínios. Comparando a descrição do próprio cargo com a estrutura dos domínios e competeências, cada profissional pode identificar as competências mais relevantes da lista e comparar seu próprio desempenho com os padrões definidos pelos itens listados. Os padrões de desempenho são ainda classificados em dois níveis. O nível "Essencial" representa os padrões mínimos necessários a um profissional que atua como "instructional designer". Eles definem os objetivos de um curso ou programa de treinamento inicial. O nível "Avançado" representa os padrões mais especializados que apenas alguns profissionais precisam alcancar e que, geralmente, são desenvolvidos ao longo da vida profissional. Baixe o documento na íntegra abaixo:

IBSTPI
.pdf
Download PDF • 124KB

Outra questão importante e relevante para falarmos, agem das competência do DI, é situar você no espaço que essa profissão ocupa no mercado de trabalho. Logicamente não vamos nos estender a respeito de salários, como cobrar pelos serviços (isso é assunto para um novo post); o ideal é que você reconheça a que família pertence essa profissão e como exercê-la dentro de um contexto mercadológico maior. Então vamos ao relatório das atividades das possíveis áreas de atuação. Sugiro que você baixe o arquivo em anexo para conhecer as ações base do DI, áreas de atuação, atividades pertencentes a cada área e a família a que pertencem:


Areas de Atuacao
.pdf
Download PDF • 39KB
Tabela
.pdf
Download PDF • 46KB
Familias
.pdf
Download PDF • 50KB

Reconhecer a importância do Designer Instrucional é crucial para quem trabalha com educação no século 21. Pode-se afirmar que trata-se da extensão do trabalho exercido pelos professores, capacitadores e influenciadores de maneira muito mais tecnológica. Fazer o aluno aprender nos tempos modernos é papel do DI,


Agora que você aprendeu um pouco sobre a profissão quero compartilhar com você 7 passos para você se tornar um DI:


Passo 1. Determine seu objetivo principal e / ou especialidade


A primeira coisa que você vai querer pensar é em qual nicho você gostaria de se especializar e / ou seu objetivo principal de se tornar um Designer Instrucional. Existe uma habilidade específica que você acha que precisa ser ensinada e pode estar subvalorizada atualmente? Você está pensando em se especializar no setor educacional ou no setor corporativo? Você é um especialista em um determinado campo e deseja compartilhar seu conhecimento com outras pessoas? Determinar seu objetivo principal permitirá que você comece a restringir o conteúdo que oferecerá e os materiais de aprendizagem que usará.


Passo 2. Ganhe uma experiência inestimável em seu nicho


Se você ainda não está familiarizado com o assunto em que vai se especializar, precisará aprender o máximo possível sobre suas ideias, princípios e conceitos centrais. Da mesma forma, você também terá que ganhar experiência em Design Instrucional, em geral. Se houver um curso de eLearning que sua organização sugere que precisa ser ajustado, ofereça-se para melhorá-lo. Se uma organização precisar de um novo curso de eLearning, diga a eles que você o fará gratuitamente, a fim de obter essa experiência inestimável. Por outro lado, se você preferir testar as águas antes de realmente trabalhar para uma organização, por que não simplesmente criar um curso de eLearning baseado em um hobby ou um ponto de interesse que você possa ter, como teoria musical ou jardinagem, a fim de experimente as ferramentas de eLearning e aplicações práticas.


Etapa 3. Estude os modelos e teorias do Design Instrucional


Depois de começar a reunir experiências muito importantes, você pode querer aprender sobre as teorias e modelos por trás do Design Instrucional. Essas teorias geralmente servirão como a espinha dorsal ou a estrutura de seus cursos de eLearning e o ajudarão a criar cursos de eLearning que envolvam e motivem o aluno a adquirir e reter as informações que você está oferecendo. Por exemplo, a teoria da carga cognitiva sugere que a aprendizagem deve ser apresentada em módulos ou lições “do tamanho de uma mordida” que permitam ao aluno adquirir totalmente as informações, em vez de sobrecarregá-las com uma abundância de informações de uma só vez. Leia sobre as várias teorias e modelos envolvidos no Design Instrucional e descubra quais irão ajudá-lo a criar cursos de e-Learning significativos e eficazes.


Passo 4. Considere o treinamento de Design Instrucional (como programas de certificação ou cursos de treinamento)


Há uma variedade de programas e graus de Design Instrucional que oferecem a você a chance de obter uma compreensão profunda dos principais conceitos e princípios do Design Instrucional. Ao tentar selecionar o programa certo, você pode optar por um que ofereça experiência do mundo real, em vez de apenas conhecimento básico das teorias do Design Instrucional. Isso permitirá que você aprenda com outros profissionais de design de eLearning e obtenha treinamento prático no trabalho. Você pode achar valioso o artigo Como escolher o programa de certificado de design instrucional certo online.


Passo 5. Aprenda sobre ferramentas de eLearning, princípios de design e recursos multimídia


Familiarize-se com as ferramentas de autoria de eLearning, Sistemas de Gestão de Aprendizagem, princípios e recursos multimídia que estão disponíveis para você como Designer Instrucional. Essas serão as suas “ferramentas de trabalho” que você usará assim que desenvolver sua estratégia de design de curso de eLearning. Se você gostaria de saber mais sobre as melhores ferramentas de autoria de eLearning e lms baseados em nuvem, este artigo apresenta uma lista de ferramentas de autoria de eLearning HTML5 e aqui está uma lista de sistemas de gerenciamento de aprendizagem baseados em nuvem que você pode considerar.


Passo 6. Comece a desenvolver um portfólio de design instrucional


Seu portfólio será sua primeira impressão como Designer Instrucional. Empregadores e clientes terão um vislumbre de seu trabalho anterior, independentemente de ter sido pago ou voluntário, e suas decisões de contratação serão baseadas no que virem. Portanto, desenvolver um portfólio sólido deve ser uma prioridade. Certifique-se de incluir explicações para cada projeto que você inclui em seu portfólio, como sua estratégia de design ou o objetivo principal do projeto.


Passo 7. Mantenha-se atualizado com a mais recente tecnologia de eLearning


O mundo do e-Learning e Design Instrucional está sempre mudando e evoluindo. As tecnologias educacionais de ponta hoje podem dar lugar a métodos e ferramentas maiores e melhores amanhã. Como tal, é essencial ficar por dentro das últimas tecnologias de design de cursos de eLearning, para que você tenha a oportunidade de fornecer aos seus alunos a melhor experiência possível de eLearning. Sem mencionar que isso também permite que você melhore os designs de seus cursos de eLearning enquanto simplifica o processo de desenvolvimento, graças ao fato de que as tecnologias emergentes tendem a oferecer uma ampla gama de benefícios de economia de tempo (e recursos).


IDI Instituto de Desenho Instrucional

#AprendizagemBaseadaemDecisões #aprendizagemadaptativa #aprendizagempersonalizada #ead #elearning #Desenhoinstrucional #educaçãoadistancia #ensinoremoto #aprendizagem #designinstrucional #desenhoinstrucional #facilitador #treinamento #educacaocorporativa #gestorderh #sessaodeaprendizagem #experienciasdeaprendizagem #metodologiasativas #rh #recursoshumanos #aprendizagemcorporativa #professor #professora #professores #conteudosead #cursosonline #comocriarcursosonline #comocriaraulasonline

18 visualizações