As Novas Competências Essenciais para Designers Instrucionais



Como é o caso de todas as profissões, você precisa ter o direito de melhorar as habilidades para fazer o trabalho, especialmente se você quiser ser competitivo.


Os Designers instrucionais precisam de um equilíbrio das áreas de TI, habilidades interpessoais e de criatividade para desenvolver habilidades à contento. Eles precisam entrar na pele de seu alvo-público e trabalhar bem com os outros. Abaixo estão 10 competências que novos profissionais de DI devem cultivar ou reforçar antes de sua primeiro projeto.


1. Comunicação


Uma das habilidades de identificação mais importantes é a comunicação. Você deve ser capaz de articular seus pensamentos, ouvir ativamente as necessidades dos clientes, e estar aberto a comentários. A comunicação também entra em jogo ao trabalhar com equipes de T&D. Por exemplo, você deve transmitir seus pensamentos e resumir o processo de design para que todo mundo esteja afinizado com as mesmas idéias. Essa habilidade é particularmente útil para gerentes de projeto ou proprietários de negócios que lidam diretamente com clientes. Na verdade, os contratos devem delinear a comunicação diretrizes para que todas as partes saibam o que esperar.


2. Resolução de problemas


A função de design instrucional está centrada na resolução de problemas. Você precisa fornecer informações de uma forma fácil de digerir, ao mesmo tempo em que está trabalhando com recursos e tempo de assento limitados. No caso de projetos, a competência para a resolução de problemas permite que você feche mais contratos. Designers instrucionais devem aprender sobre seus pontos fracos e desafios atuais de T&D para então conceber soluções inovadoras dentro do orçamento.


3. Criatividade


Todo Designer Instrucional de sucesso tem uma centelha criativa. Eles entendem como se conectar com seu público-alvo em um forma significativa e prender a atenção deles, seja através recursos visuais, simulações imersivas ou atividades de aprendizagem social. Em suma, você precisa de uma boa dose de criatividade para reutilizar ativos e desenvolver conteúdo novo que equilibre o entretenimento com educação.


4. Empatia


Eu mencionei anteriormente que você precisa se colocar no lugar do aluno, o que exige um alto grau de empatia. O primeiro objetivo é ajudá-los a assimilar as informações e aplicá-las no mundo real. Como resultado, você precisa saber como eles pensam e o que os motiva. O que seus alunos esperam e como você pode superar essas expectativas? Existem alguma limitação que você precisa considerar? Compaixão e

compreensão são habilidades de DI são competências cruciais para cultivar.


5. Experiência em TI


Um Designer Instrucional não tem necessariamente que ser a pessoa mais experiente em tecnologia na sala. No entanto, você precisa gradualmente desenvolver as suas habilidades técnicas, especialmente aquelas que centram em tecnologias de aprendizagem. Por exemplo, você sabe como usar um ferramenta de autoria, LXP ou LMS para desenvolver e implantar cursos? Quando você não tem muita experiência prática assim que chegar seu primeiro emprego ou contrato, você sempre pode terceirizar algumas das tarefas de TI, se não for o seu forte. Mas o ideal é que vá agregando conhecimento no decorrer da sua profissão. Não perca a oportunidade de anotar e fixar esses novos conhecimentos que você vai agregando.


6. Design Visual


Você pode visualizar o projeto acabado e imediatamente determinar quais elementos funcionam e quais precisam ser cortados. O design visual é mais do que estética. Você também precisa pensar sobre como os alunos irão navegar ao longo do curso e se existem obstáculos potenciais. Por exemplo, o design pode ser muito confuso, o que distrai os alunos e leva a sobrecarga cognitiva. Lembre-se o que o Steve Jobs - Ex-CEO da Apple dizia: "tem que ser intuitivo e fácil de usar. Ter que pensar em como usar algo para somente após usar é muito trabalhoso para a cognição humana". Menos é mais.


7. Organização e planejamento


A maioria dos Designers Instrucionais está envolvido em todos os aspectos do projeto desde o primeiro dia. O especialista no assunto precisa de sua ajuda para definir objetivos, enquanto o Designer Gráfico pede sua orientação ao criar o layout. Como tal, os profissionais de identificação precisam ser adeptos à organização e ao planejamento. Digamos que o próximo curso é no próximo mês. De quanto tempo seus colaboradores precisam? Que tarefas estão envolvidas? Existe uma maneira de mitigar riscos e evitar atrasos potenciais? Simplificando, um Designer Instrucional precisa fique um passo à frente e analise cada projeto de forma contextual e holística.


8. Pesquisa


Ninguém é especialista em tudo. Portanto, um designer instrucional deve possuir incríveis habilidades de pesquisa para preencher as lacunas. Eles sabem quais recursos usar e também profundamente cônscios de suas próprias limitações. Felizmente, os DI's também sabem quando é hora de delegar tarefas e como encontrar a melhor forma de aprendizagem para o trabalho. Outra habilidade de pesquisa é ser capaz de

checar as fontes para que tenham sempre informações precisas e verdadeiras.


9. Gerenciamento de tempo


Planejamento e gerenciamento de tempo formam uma combinação perfeita. Você precisa para entregar o conteúdo dentro do cronogr