Como e Por que Criar Cursos Envolventes?



O sonho de qualquer designer instrucional é criar cursos envolventes que os alunos amem. Mas para criar esses cursos de impacto é necessário falarmos sobre alguns aspectos críticos que levam seu projeto ao sucesso ou ao fracasso. Você saberia me dizer o que exatamente é um aprendizado envolvente? Que tipo de características a aprendizagem precisa ter para ser qualificado como envolvente? Todos reclamam de treinamentos convencionais, monótonos com a qual os alunos querem fugir. A própria qualidade da EaD está muito atrelada ao envolvimento dos alunos, segundo Censo EaD.BR da ABED.

Assim sendo, 3 pontos de atenção para trabalhar o envolvimento em cursos são: propósito, motivação e interatividade.

Todo programa de treinamento é obrigado a ter um propósito que promove uma real mudança de comportamento na equipe. Estabelecer esse propósito é imperativo mesmo antes de começarmos a criar qualquer um curso. Minha sugestão é que você crie um processo para analisar um problema de desempenho e projete soluções que funcionam. Inclusive o mapeamento instrucional pode facilitar esse trabalho de identificação de conteúdo, atividades e recursos e, em seguida, dá insightsde quais atividades devem ser incluídas na solução, concentrando-se no propósito do curso. Veja como levantar esse propósito:

A. Propósito

1º passo: ao criar qualquer programa é fazer a pergunta por quê? Pode variar de algo como "Por que este programa de treinamento deve ser criado" ou "Que necessidade de negócios ele satisfaz?". A próxima parte seria identificar um objetivo mensurável. Por exemplo, uma métrica "precisamos aumentar as vendas em 30% no próximo ano".

2º passo: pense no que as pessoas precisam para se esforçar para alcançar esse objetivo. Qual comportamento (s) os alunos precisam adaptar / exibir para alcançar esse objetivo. Isso também incluiria levar em consideração os desafios que poderiam surgir para alcançar as metas. Também poderia estar avaliando por que o comportamento desejado não está sendo alcançado.

3.º passo: Planeje as atividades que poderiam ajudar as pessoas a praticar cada comportamento. Concentre-se em descobrir a prática apropriada para cada comportamento que pode ser fornecido através de uma intervenção (não necessariamente um curso). Isso também abrange o fornecimento de soluções para certas falhas de comportamento.

4º passo: Analise as informações mínimas que as pessoas precisam para completar cada atividade. Identifique todas as informações necessárias a serem dadas aos alunos para cada atividade prática. Esta informação tem que ser exata: não menos, não mais. A próxima parte é cobrir as falhas de comportamento com atividades de aprendizagem que podem envolver os alunos.

B. Motivação

Para que qualquer aprendizado aconteça, a motivação é crucial. A EaD é uma atividade isolada. A auto- motivação é crucial. Ele vem de dentro do aluno ou cabe aos designers institucionais garantir a motivação através da maneira como projetam um curso.

Aqui estão algumas maneiras de garantir a motivação:

1. Responda qual é a preferência no plano de distribuição / comunicação.

2. Torne a aprendizagem proposital. A essência é manter o treinamento curto e doce, deixando a escolha da progressão do curso para o aluno.

3. Mantenha o conteúdo fragmentado em pílulas de conhecimento.Projetar o mais fragmentado possível assuntos que possam ser pesquisados e consumidos em movimento corresponderia à característica de uso móvel.

4. Fornecer Navegação Aberta. A navegação bloqueada pode dificultar bastante os alunos e fazê-los sentir-se desrespeitados. A melhor maneira de dar a eles o controle é liberar a navegação e facilitar para eles.

5. Trazer a flexibilidade de vários dispositivos. Se a ideia é fornecer acesso ao conteúdo em vários dispositivos, o material de aprendizagem deve ser construído conscientemente para esses dispositivos. Ele deve ser responsivo e acessível.

C. Interatividade

É importante notar que a interatividade não é exatamente o engajamento. Os programas exigem muito da parte cognitiva e da mente e criar interatividade sem sentido é perda de tempo e esforço. Tais interatividades apenas irritam os alunos e não entregam nada. Aqui estão algumas maneiras de se concentrar em interatividades significativas:

1. Cenários da Vida Real. Forneça tarefas aos alunos com um cenário / contexto da vida real e, em seguida, dar-lhes um feedback elaborado. Os alunos são mais receptivos quando recebem feedback, e é o momento mais oportuno para fornecer informações relevantes.

2. Histórias. Tendemos a lembrar mais das histórias e às vezes até adicionam suas próprias visualizações às histórias. As histórias são uma ótima maneira de as empresas ensinarem os alunos sobre seus produtos.

3. Vídeos. São outro excelente meio de contar histórias e um meio eficaz quando se trata de soluções para vários dispositivos. Isso ocorre porque os vídeos são naturalmente responsivos se forem bem feitos. Vídeos curtos também podem ser ferramentas de suporte de bom desempenho. Os vídeos interativos são muito promissores e estão sendo cada vez mais explorados no eLearning.

Uma referência realmente interessante para um vídeo interativo é um vídeo que terminou como vencedor nos prêmios da Era do e-Learning em 2013. Confira o vídeo e experimente-o.

Tudo somado, propósito, motivação e interatividade são as três principais coisas para se concentrar se você quiser criar eLearning que é envolvente. Deixe-nos saber como sua empresa lida com o eLearning para torná-lo envolvente. Gostaríamos muito de ouvir de você!

#motivaçãoeducacional #motivaralunos #desenhodecursos #criarconteúdos #motivação

0 visualização