Como Evitar Sobrecarga Cognitiva em Cursos On-Line?



A era da internet trouxe consigo o bem mais valioso da humanidade: o conhecimento. As informações são abundantes para quem possui um computador desktop, laptop ou dispositivo portátil. Nem todas as informações representam um conhecimento valioso; podemos receber informações conflitantes e ficar em dúvida para diferenciar entre conteúdo útil daquele trivial. Além disso, muita informação pode sobrecarregar os processos cognitivos e tornar o conhecimento inútil. Isso ocorre porque o cérebro possui largura de banda limitada para armazenar novas informações.

Existe uma necessidade crescente de discernir com eficiência entre o que incluir em um treinamento e o que deve ser deixado de fora. Se o aluno receber uma carga de conteúdo muito pesada, a capacidade de aprendizado atingirá um pico. Portanto, é importante apresentar ao aluno apenas os conceitos-chave, a quantidade certa de informação e o formato correto.


Sobrecarga cognitiva na aprendizagem

Para entender o que significa sobrecarga cognitiva, precisamos primeiro definir o que significa carga cognitiva. De acordo com a teoria da carga cognitiva proposta por John Sweller, as pessoas têm uma capacidade máxima de aprendizado. É como tentar colocar dois litros de água em um copo. A certa altura, o copo transbordará e não poderá mais conter água.


O mesmo acontece com a memória. Dar muitas informações aos alunos ou fornecê-las a uma velocidade maior do que elas são capazes de absorver resulta em sobrecarga cognitiva. Depois de ultrapassar esse limite de absorção de conhecimento, a memória do aluno não poderá armazenar nenhuma informação nova.


Existem dois tipos de memória e três tipos de cargas cognitivas. A memória é dividida entre a memória de trabalho (que absorve o que você está aprendendo no momento) e a memória de longo prazo (onde o conteúdo aprendido se instala para ser recuperado posteriormente, quando necessário). O gerenciamento da carga cognitiva pode ajudar a memória de trabalho a transmitir informações para a memória de longo prazo. Cada pessoa exibe três tipos de cargas cognitivas:


1) Carga cognitiva pertinente

Essa é a capacidade da memória de trabalho para organizar, categorizar e processar estruturas de aprendizado. Você deseja fornecer aos alunos novas informações que fazem uso pesado de suas capacidades pertinentes.

2) Carga cognitiva estranha

Esse tipo de processo de memória é ativado pelo método de entrega de informações. Designers instrucionais têm controle completo sobre cargas estranhas, desde que apresentem informações da maneira mais simples e eficiente possível.


3) Carga cognitiva intrínseca

Refere-se ao nível de dificuldade que o material de aprendizagem apresenta. O Designer instrucional não pode alterar a dificuldade inerente de um assunto, mas pode decompô-lo em partes menores e mais facilmente digeríveis.


Dar muitas informações aos alunos ou fornecê-las a uma velocidade maior do que elas são capazes de absorver resulta em sobrecarga cognitiva. Depois de ultrapassar esse limite de absorção de conhecimento, a memória do aluno não poderá armazenar nenhuma informação nova.


Dicas para evitar sobrecarga cognitiva


Existem maneiras de solucionar a sobrecarga cognitiva. Equilibrar carga cognitiva pertinente, com as cargas estranhas, enquanto simplifica a carga intrínseca, pode produzir um conteúdo de aprendizado altamente absorvível. Para fazer isso, siga estas dicas:

Simplifique o conteúdo

Os principais conceitos precisam ser explicados em linguagem simples. Tire qualquer linguagem complicada, informações não essenciais e explicações elaboradas. O que resta a você deve ser um conteúdo altamente relevante que ajude a memória de trabalho do aluno a passar as informações para a memória de longo prazo. O aluno será capaz de ativar seus processos cognitivos pertinentes e facilmente reter novas informações.

Use Microlearning

Microlearning é o método perfeito de entrega de conhecimento para recall a longo prazo. A divisão de conceitos pesados ​​em uma série de lições específicas permitirá aos alunos espaço e tempo de memória para processar as novas informações. Isso leva a um entendimento mais profundo, e as informações passarão sem esforço para a memória de longo prazo.


Varie os métodos de entrega

Os métodos de entrega de conteúdo que combinam aprendizado visual, auditivo, sensorial e cenestésico têm uma chance maior de maximizar a retenção de conhecimento. As pessoas aprendem de maneiras diferentes, e a apresentação do curso deve incluir vídeo, leitura, testes interativos e outros elementos que tornam a aprendizagem atraente e interativa.

Lembre-se de que a memória possui dois componentes e você precisará organizar as informações de maneira eficiente e misturar seus estilos de entrega de conteúdo. Dessa forma, você maximizará a quantidade de informações que atinge a memória de longo prazo.

IDI Instituto de Desenho Instrucional


#desenhoinstrucional #designinstrucional #desenhoeducacional #ead #elearning #cursosonline #treinamentosonline#treinamento#desenvolvimento #conteudosead #experienciasdeaprendizagem #rh #dho #EducaçãoCorporativa#Aprendizagem #GestãoDePessoas#UserExperience #GestãoDoConhecimento #ead #memoria #cerebro

23 visualizações

Cadastre-se para receber cupons e novidades!