Esse é o Momento de Avaliar a Qualidade do Ensino Online?


O nosso momento atual não tem precedentes - nenhum - na história do ensino superior mundial. Desde o advento da televisão na década de 1950, novas tecnologias foram anunciadas como uma maneira de fornecer "educação em massa" aos milhões de novos rostos que chegavam às nossas faculdades e universidades. Essas instituições foram formadas para servir um número muito pequeno de homens brancos e prósperos. Mas eles evoluíram para gigantes da diversidade, recrutando veteranos militares da classe trabalhadora (que constituíam metade dos estudantes de graduação nos USA em 1947) e, eventualmente, quase qualquer um que conseguisse reunir mensalidades ou ajuda financeira suficientes para participar.

A tecnologia permitiria às universidades integrar essas novas populações, proclamavam os entusiastas. De acordo com o vice-presidente da Ford Foundation, que investiu milhões em televisão educacional, a TV "tornaria os melhores professores da época ... à disposição de todos".


Enquanto isso, em Harvard, o psicólogo B. F. Skinner prometeu substituir os professores por completo. "O número de pessoas no mundo que querem educação está aumentando a uma taxa quase explosiva", alertou Skinner. "Não será possível dar a essas pessoas o que elas querem, construindo mais escolas e treinando mais professores". A resposta de Skinner foi a "máquina de ensino", que ele desenvolveu em Harvard e usou brevemente para instruir um de seus próprios cursos. Era uma engenhoca em forma de caixa que exibia perguntas que os alunos respondiam, sendo recompensadas (termo favorito de Skinner) por cada resposta correta.

A educação on-line ... quase não foi percebida por nossos alunos regulares, que recebem educação à moda antiga: na sala de aula. Agora, pela primeira vez, eles não. Eles serão jogados no mesmo pote grande que todos os outros. Uma intervenção projetada para servir as massas será agora imposta às classes (superiores). Os alunos de Skinner foram mornos em suas avaliações de sua máquina de ensino, mas um deles também previu que "teria um efeito revolucionário" fora dos jardins de Harvard . E esse era o ponto, é claro. As novas máquinas não foram criadas para as elites, que sempre teriam acesso aos melhores tipos de educação que o mundo poderia oferecer. A tecnologia era para todo mundo, fornecendo um fac-símile de instruções presenciais por uma fração do custo.

É assim que a educação on-line tem sido, na maioria das vezes. Considerando alguns de nossos clientes (universidades), que recentemente iniciaram os primeiros cursos de graduação totalmente on-line. É destinado a - surpresa! - estudantes trabalhadores e não tradicionais, que muitas vezes não conseguem chegar ao campus e também não podem pagar o custo. Quase não foi notado por nossos alunos regulares, que recebem educação à moda antiga: na sala de aula. Agora, pela primeira vez, eles não. Eles serão jogados no mesmo pote grande que todos os outros. Uma intervenção projetada para servir as massas será agora imposta às classes (superiores). Este não é apenas um experimento em educação. É um teste de nossa democracia também.


As próximas semanas e meses serão incrivelmente difíceis para todos. Eles vão expor e exacerbar as vastas desigualdades que atormentam nossas instituições educacionais. É importante reconhecer agora que a tecnologia não vai corrigir essa situação. De fato, esperar que a tecnologia o faça pode piorar as coisas. Nem todos os alunos têm acesso a um laptop ou banda larga em casa. E não, você não pode fazer tudo em um telefone celular. Você não pode simplesmente ir à biblioteca ou à um café e obter gratuitamente o Wi-Fi. Agora não.

Muitos alunos e professores encontram-se à beira do desastre financeiro e profundamente preocupados com a saúde, a saúde de seus pais, amigos, filhos. É difícil se concentrar em outra coisa senão o ritmo acelerado das notícias. Até o mais leve dos transtornos de ansiedade agora parece totalmente incontrolável. As escolas de ensino fundamental e médio contam com a educação online para dar continuidade nos seus cronogramas.


Com relação à questão do que está sendo oferecido em termos cursos certamente não é hora de fazer pronunciamentos abrangentes sobre a eficácia e qualidade da educação on-line. Muitos foram pegos de "calça curta" e nós do Instituto de Desenho Instrucional, enquanto formadores de profissionais que promovem a educação online, também não será hora de fazê-los assoberbados de trabalho. Já sabemos que a educação on-line não funciona bem para todos os alunos - especialmente os mais desfavorecidos - em circunstâncias normais. E essas não são circunstâncias normais.


Neste momento a única coisa que devemos julgar é quão flexíveis e compassivas as faculdades, escolas e organizações estão durante esta crise.

Reconheçamos que tudo isso será um ponto de virada para a educação on-line - momento único em que você poderá brilhar ou tropeçar. É uma oportunidade para as instituições se reorganizarem em torno de mais tecnologia e a chance de liderarem com maior humanidade para futuros percalços que possam ocorrer.


IDI - Instituto de Desenho Instrucional


#educação #desenhoinstrucional #designinstrucional #desenhoeducacional #ead #elearning #cursosonline #treinamentosonline #treinamento #desenvolvimento #conteudosead #experienciasdeaprendizagem #rh #dho #EducaçãoCorporativa #Aprendizagem #GestãoDePessoas #UserExperience #GestãoDoConhecimento #professor #professora #professores #professoras #montarcursosonline #criarcursosonline #criarcursos #montarcursos

0 visualização