Mapeando as Jornadas de Aprendizagem em 6 etapas


Compreender as necessidades de seus funcionários e colocar as lacunas de habilidades em primeiro plano é essencial para criar uma jornada de aprendizado bem-sucedida com experiências de alto nível para os alunos. Vamos nos aprofundar nas etapas mais importantes que você precisa levar em consideração para mapear a jornada de aprendizagem:


1. Pense em seu público


Uma das etapas mais importantes do seu design é entender o seu público. Saber quem é o aluno determinará que tipo de experiência funcionará melhor para essa jornada de aprendizado.


- Quais são seus papéis, objetivos e aspirações?

- Que experiência eles têm?

- Em que ambiente eles costumam trabalhar? Que horas eles trabalham?

- Que acesso à tecnologia esse público tem e como eles normalmente consomem conteúdo de aprendizagem?

- Quais são os pontos problemáticos (ou barreiras) que eles têm?

- Há alguma limitação de tempo, por exemplo, eles trabalham em turnos e assim por diante?

- Como eles preferem aprender?


Dica principal: use um modelo de persona para ajudá-lo a capturar essas informações para a jornada de aprendizado.


2. Entenda o que você realmente precisa - não o que você acha que precisa


Depois de conhecer seu público, você deve pensar sobre quaisquer 'Caminhos' específicos que precisam ser atendidos:


- A jornada precisa ser dividida em caminhos de aprendizagem, por exemplo, níveis de experiência?

- A jornada precisa reconhecer sua progressão na carreira, por exemplo, de gerente de primeiro nível a gerente sênior?

- Como o conteúdo muda para atender a esses diferentes caminhos?


Dica: pense em básico, intermediário a avançado para ajudar a guiá-lo.


3. Mapeie suas lacunas de habilidades


Outra maneira de entender melhor o que você precisa para a jornada de aprendizado é mapear as lacunas de habilidades em sua organização usando um software de gerenciamento de desempenho e um plano de desenvolvimento que não envolva apenas uma avaliação anual.


4. Seja claro no que você está se preparando para fazer


Sempre que pedimos a alguém para fazer algo, é uma boa prática deixar claro por que estamos pedindo. Sem a compreensão fundamental do 'porquê', os humanos não estão motivados para concluir o trabalho. Ofereça transparência com seus alunos. Comunique benefícios reais, bem como riscos reais, e seja tão honesto e aberto quanto você ousar ...


5. Torne o caminho de acesso fácil


Se ninguém está visitando suas ações de capacitação, então qual é o ponto? Precisamos trazê-lo da escuridão para a luz. O ideal é que todo aprendizado tenha sua própria maneira de fazer com que as pessoas saibam que ele existe e por que é importante. Ajuda a iniciar o processo de comunicação mais cedo, seja por meio de um simples e-mail ou por meio de uma campanha de comunicação completa que faz uso de vários canais de entrega. Verifique a autenticidade do seu tom de voz, a precisão das suas informações e, sempre que possível, personalize a sua mensagem em vez de automatizá-la!


6. Crie uma experiência perfeita


Como o pensamento humano é tão impulsionado por nosso inconsciente, coisas que nem percebemos ainda desencadeiam uma resposta emocional. Encontrar links da web quebrados ou ter que fazer vários cliques (ou até mesmo vários logins) para acessar uma parte do aprendizado pode parecer insignificante no grande esquema das coisas, mas eles irritam e impactam a experiência geral.


Recursos simples como e links diretos podem tornar o processo mais assertivo. A ideia por trás da melhoria contínua está no cerne de quase todos os modelos de melhoria de negócios.


IDI Instituto de Desenho Instrucional


#ux #jornadadoaluno #jornadadaaprendizagem #designinstrucional #desenhoinstrucional #facilitador #treinamento #educacaocorporativa #gestorderh #sessaodeaprendizagem #experienciasdeaprendizagem #metodologiasativas #rh #recursoshumanos #aprendizagemcorporativa